Comitê Gestor apresenta balanço de ações e define novas ações para revitalização das fontes de Cascavel

A ideia da Sema é fazer a recuperação das nascentes, nova tubulação e canalização da água, além de recuperação do entorno

O Comitê Gestor de Recursos Hídricos – que é formado por representantes do IAP (Instituto Ambiental do Paraná), da Sanepar, do Emater e das secretarias municipais de Meio Ambiente, Agricultura e Saúde, além do Ministério Público das comissões de Saúde e de Meio Ambiente da Câmara de Vereadores e dos  Conselhos Municipal de Meio Ambiente e de Saúde – voltou a se reunir nesta quarta-feira (20) para definir os próximos passos que serão adotados na revitalização das fontes espalhadas por Cascavel.

No dia 6 de novembro equipes da Secretaria de Meio Ambiente iniciaram os trabalhos de restrição à captação da água para consumo em  fontes urbanas. A medida atendeu a uma decisão do Comitê Gestor. Das 17 fontes existentes, em seis delas já foi instalado o sistema de contenção que dificulta o consumo da água. Os trabalhos devem ser concluídos na próxima semana.

“Apresentamos hoje o balanço de todas as ações já realizadas. Agora deveremos fazer a revitalização de todas as fontes e também do entorno destes locais para que seja criada uma área de contemplação e lazer”, explicou o secretário de Meio Ambiente, Wagner Yonegura.

A ideia da Sema é fazer a recuperação das nascentes, nova tubulação e canalização da água. Ações da Sanepar deverão garantir que as residências que ainda não fizeram a canalização da rede de esgoto seja executada. “Mesmo Cascavel possuindo 98% de serviço de esgoto, muitos proprietários ainda não fizeram a ligação e estão pagando por este serviço, sem usá-lo. Desta forma, com o uso de fossa séptica, o lençol freático e o solo são poluídos”, completou o Secretário de meio Ambiente.

Ao fim do encontro ficou definido que será feita  em parceria com a Sanepar o diagnóstico de todas as fontes e sejam decididas quais ações deverão ser desenvolvidas para remediar a contaminação. Em um segundo momento, a Companhia de Saneamento fará o levantamento e os estudos técnicos sobre a situação das fontes e o que precisa ser feito para preservação e despoluição da água. Paralelo a isso, a Sanepar fará a contratação de empresas para fiscalizar domicílios para saber como está a ligação do esgoto na rede coletora. Com este serviço em mãos, a Sanepar notificará a Prefeitura para que tome as providências cabíveis.

Um novo encontro para resolver estas questões foi marcado para o dia 22 de janeiro, na sala de reuniões da Prefeitura. “Nesse dia já teremos em mãos todas as ações que deverão ser realizadas e vamos apresentar junto com a Secretaria de Saúde todo o cronograma de ações que serão desenvolvidas”, disse Wagner Yonegura.

A gerente de Recursos Hídricos da Sanepar, Ester Amélia de Assis Mendes, explicou que Companhia está  implantando o PSA (Plano de Segurança da Água), por meio do qual uma equipe de técnicos faz um levantamento nas quatro bacias de manancial, traçando o perfil ambiental de cada uma e levantando alguns potenciais poluidores das águas. Para este trabalho, um drone está sendo usado para facilitar a localização, identificação e orientação à propriedade poluidora. “Esta é uma ação inicial para daro ponto zero desta ação do Plano de Segurança da Água. Em contrapartida, queremos estabelecer parcerias com a sociedade e a Prefeitura para que estas ações sejam traduzidas em benefícios da qualidade e quantidade dos mananciais de Cascavel”, disse a gerente de recursos hídricos da Sanepar. Ela completou falando que para a reunião do próximo dia 22 a Companhia pretende “ter em mãos um levantamento prévio dos potenciais riscos da bacia do Rio Cascavel que o principal manancial do Município”.



Fale com a Redação

sete − 4 =