Brasília – As exportações totais de carne bovina (in natura e processada) atingiram 173.826 toneladas em agosto, estabelecendo novo recorde mensal no setor, segundo informações da Abrafrigo (Associação Brasileira de Frigoríficos), que compilou os dados divulgados pelo Mdic (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior).

Esse volume representa um crescimento de 19% sobre agosto de 2017, quando as exportações foram de 145.550 toneladas. A receita, por sua vez, aumentou 16%, passando de US$ 605,3 milhões no mesmo mês de 2017 para US$ 699,8 milhões em 2018.

Com esses números, segundo a Abrafrigo, o total exportado já supera 1 milhão de toneladas em oito meses: em agosto de 2017 haviam sido exportadas 929.284 toneladas e, neste ano, totaliza 1.014.841 toneladas, aumento de 9%.

A receita correspondente foi de US$ 3,77 bilhões em 2017 e neste ano já alcança US$ 4,2 bilhões, crescimento de 12%.

A entidade acredita que até o fim do ano o País se manterá na meta de crescer 10% na movimentação de 2018, ultrapassando 1,5 milhão de toneladas.

Destinos

A China continua comandando o crescimento das exportações brasileiras. Por Hong Kong foram movimentadas 249.808 toneladas nos oito primeiros meses do ano, num crescimento de 16% em relação ao mesmo período de 2017, enquanto pelo continente a movimentação somou 191.118 toneladas, num aumento de 49% em relação ao ano passado.

Também vêm ampliando as importações o Egito (+25%), com 104.180 toneladas; o Chile (+92%) com 75.062 toneladas e quase todos os países integrantes da União Europeia. A destacar a participação do Uruguai que, em 2017, tinha importado apenas 2 mil toneladas da carne bovina brasileira e neste ano comprou 35.834 toneladas.

Além da Rússia que não faz negócios envolvendo carne bovina brasileira desde dezembro de 2017, as maiores quedas nas importações entre os grandes clientes do Brasil como Estados Unidos (-30%); Irã (-25%) e Arábia Saudita (-23%).

Abate de bovinos e de suínos cresce

O abate de bovinos e suínos cresceu no segundo trimestre deste ano na comparação com o mesmo período do ano passado. No segundo trimestre deste ano foram abatidos 7,72 milhões de bois – alta de 4%. Já o número de porcos abatidos chegou a 10,82 milhões de animais – aumento de 1,9%.

Os dados são das Pesquisas Trimestrais da Pecuária, divulgadas ontem (12) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Outro indicador que teve alta no período foi a produção de ovos de galinha, que cresceu 6,6% em relação ao segundo trimestre do ano passado.

O abate de frangos, no entanto, teve queda de 4% no mesmo período, resultado que pode ser explicado, segundo o IBGE, pela greve dos caminhoneiros, ocorrida em maio deste ano.

A aquisição de leite cru apresentou queda de 3,2% no período, enquanto a de couro manteve-se estável.