Você já se perguntou: Por que as coisas não dão certo se eu me dedico tanto? Por que as coisas não dão certo se eu já sei tanto? Por que as coisas não dão certo se eu sou uma pessoa boa?

A resposta é simples: as coisas não dão certo porque você não está fazendo o básico!!

Sim, não é fácil, mas é a verdade.

E talvez você pergunte: o que significa fazer o básico?

Para esta resposta, eu te convido a colocar os “óculos sistêmicos”.

 

Vamos olhar a partir de leis básicas do convívio humano. Lembrando: são leis e impactam independente da nossa vontade. Saber sobre isso não é o bastante, é preciso sentir. ELAS (as leis) ATUAM POR RESSONÂNCIA, POR SINCRONICIDADE. Respondem autenticamente ao que sentimos.

Existem três leis: o PERTENCIMENTO, a ORDEM e o EQUILÍBRIO.

 

Aqui vou considerar o PERTENCIMENTO.

A lei do pertencimento diz: TODOS PERTENCEM. Todos!

Saber sobre a lei do pertencimento não é o suficiente, é preciso ter a experiência, vivenciar isso todos os dias.

No dia a dia, somos expostos a uma infinidade de contextos. Desde que acordamos temos experiências de relacionamentos, até mesmo se você mora sozinho.

A primeira pessoa com quem nos relacionamos cada um vê no espelho. Sim, você mesmo! Quando pensa em si, você valida o pertencimento ou você o viola?

Vamos aprofundar…

Que tipo de reações você tem quando olha para si mesmo, quando se dirige a si mesmo? Você tem respeito, amor e gratidão quando se refere a você?

Essa não é uma pergunta para ser respondida intelectualmente.

sugiro que você pare por alguns instantes e se perceba. Faça uma retrospectiva, volte para o momento que você desperta, para as primeiras horas do dia… como você lidou consigo? Pare, respire e pense! Aproveite o momento…

 

Todas as pessoas reagem imediatamente às informações, mesmo que não percebam. Considerando isso, seu corpo, suas células, suas emoções e seus resultados são impactados pela maneira como você se refere a si mesmo.

Para alguns, pode ser muito fácil, porém, para a maioria, a autovalidação não acontece.

E aqui começa o básico.

A autovalidação só é realmente possível para aqueles que honram a própria fonte, ou seja, só têm amor próprio aqueles que honram os pais.

Experimentar o pertencimento é uma necessidade básica fundamental de todo ser humano. E começa por essas duas relações mais próximas. Você e seus pais.

 

Toda Saúde é fraca quando existem exclusões.

Toda Felicidade é fraca quando existem exclusões.

Todo Sucesso é fraco quando existem exclusões. Principalmente exclusões de pai e de mãe.

 

Comece se percebendo, percebendo como você age com você mesmo e com os outros. Como você trata as pessoas com quem convive? Quem são essas pessoas?

Pode ser seu marido/esposa, seus filhos, ou outras pessoas.

Pensando no marido/esposa, você se comporta considerando quem ele/ela é, da maneira como é ou já começa o dia julgando e criticando? Quanto tempo você consegue ficar sem julgar ou criticar? Considerando que ele/ela tem uma fonte (os próprios pais), como você considera isso? Você os reconhece como pais perfeitos ou tem julgamentos ou críticas?

Todo julgamento separa. Toda crítica separa. Toda objeção desclassifica. Tudo isso é compreendido como exclusão.

 

Pense sobre isso, avalie suas relações…

Se a vida não vai para frente, inicie com o básico. Inicie olhando com dignidade para si mesmo e para as pessoas mais próximas. Essas relações são as mais importantes. Todo o restante vai se mostrar a partir desse início.

Isso faz sentido? Isso te desconforta? Como você se sente?

Mande seu comentário, suas experiências!

 

Por Graciele Reimann Gatto