Oportunismo x vidas

O script oficial é pitoresco, a cara do Brasil que não dá certo há décadas. Um importante contato do Ministério da Saúde revela aos lobistas que rondam a entrada da pasta que o Governo pretende comprar 400 milhões de doses de uma vacina, a bom preço e de emergência. Aparecem, então, “especialistas” como um policial, um coronel da PM,  um militar que altera a natureza da firma para vender produtos médicos, um reverendo chorão etc. E, pelo que descobriu a CPI da Pandemia até agora, havia de tudo e de todos na praça, menos laboratório com essa quantidade de vacina.

 

Na moita

Os laços dos depoentes podem levar a um político bolsonarista de Minas Gerais. Basta um deles falar, se sentir o peso de algemas num eventual indiciamento.

 

Do hangar

A Embaixada da Turquia informa que o jato Gulfstream apreendido pela PF com cocaína não pertence à Força Aérea daquele país, conforme cita um site especializado norte-americano.

 

Cabresto moderno

O presidente Bolsonaro não quer o retorno do voto impresso em lugar do eletrônico. Não sabe explicar, ou quer mesmo confusão. Pede apenas o recibo da urna para o eleitor. Hoje, o sistema emite esse boletim só para os TREs e o TSE.

 

A médio prazo

A associação de funcionários dos Correios – prestes a ser privatizado – reclama que o relator do projeto de lei da venda e a base do governo fecham os olhos para o que a própria estatal já apresentou de lucro e plano para os próximos dez anos, sem risco de prejuízos para o Tesouro.

 

Lá e cá

Os funcionários citam que apenas oito países no mundo têm os Correios privatizados, cuja dimensão é muito menor que a logística que se exige no Brasil de fronteiras continentais. São Aruba, Cingapura, Grã-Bretanha, Líbano, Malásia, Malta, Países Baixos e Portugal. As áreas somadas “cabem” dentro do Estado do Mato Grosso.

 

Será mesmo?

Em Vitória (ES), aliados do presidente Bolsonaro bancaram um outdoor em movimentada avenida no qual escrevem “Trump ganhou”. Querem chamar atenção para a pauta bolsonarista do voto auditável impresso na urna eletrônica.

 

Saldo no azul

Secretário de Cultura do governo federal, cujo chefe da nação chama a emissora de lixo, o ator Mário Frias é estrela da série vespertina Malhação da Globo, em reprise.

 

Responsa social

Deve-se a Márlon Reis, o ex-juiz idealizador da Lei Ficha Limpa, o acordo milionário do Carrefour com entidades de direitos dos negros, na ação da morte de João Alberto ano passado, vítima de asfixia por um segurança. “Empresas que violam direitos vão ter que desembolsar muito dinheiro”, repete Márlon, hoje advogado. Por praxe na praça, a defesa tem direito a receber até 20% dos mais de R$ 120 milhões do acordo.

 

Batalha pela vida

Depois de contrair a covid-19 ano passado em Brasília, e travar uma dura batalha pela sobrevivência, o jornalista Jorge Eduardo Antunes decidiu lançar um livro para alertar dos perigos da doença. A publicação chegará às livrarias virtuais em 8 de outubro, dia em que recebeu alta do Hospital Santa Helena.

 

Lista vermelha

Pequenas empresas vêm sentindo grande dificuldade em obter o Pronampe/2021. O governo federal inscreveu milhares delas no Banco Central, o que impede o acesso à linha de crédito. Mas uma porta ficou aberta: basta parcelar com pequena entrada para a restrição ser derrubada. Os prazos podem chegar a mais de 150 meses.