Raquel x Gilmar

O Supremo Tribunal Federal ignorou, até agora, os pedidos da Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge, de anulação de habeas corpus concedidos pelo ministro Gilmar Mendes. Já faz mais de três meses, por exemplo, que Dodge protocolou no STF recurso contra a decisão do ministro que libertou Paulo Vieria de Souza, o Paulo Preto, apontado como operador de propinas do PSDB. Na semana passada, a insistente PGR pediu a revogação do HC concedido por Gilmar Mendes ao ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB). Nos pedidos, Dodge solicita que o ministro do STF reconsidere suas decisões – o que é improvável – ou envie os casos para o plenário.

***Grades & urna

O ex-prefeito de Uberlândia Gilmar Machado (PT-MG) toca sua campanha a deputado federal detrás das grades. Mesmo assim conseguiu R$ 475 mil do diretório.

***Lotação

O petista foi preso na semana passada na Operação ‘Kms de Vantagem’, que apura o envolvimento dele em irregularidades em licitações de vans em Uberlândia em 2014.

Na ferida

O primeiro programa de TV de Bolsonaro num eventual 2º turno – se passar – será a íntegra do vídeo em que briga com a deputada Maria do Rosário (PT). Ele reclama que só parte do vídeo aparece nas redes e na TV. Diz que ela foi a primeira a xingá-lo.

Aliás…

… Bolsonaro, que semana que vem já estará em casa, está sem verba e sem marqueteiro para os 10 longos minutos de TV que pode ter num eventual 2º turno.

Propaganda é tudo

Na contramão dos discursos que pregam a redução de gastos, deputados federais que concorrem à reeleição não fizeram o menor esforço para aprovar na Câmara proposta que põe fim à propaganda político-partidária gratuita no rádio e televisão.

Olha a internet!

Este ano o horário eleitoral terá custo de mais de R$ 1 bilhão. A proposta (PL 6673) foi apresentada pelo deputado Betinho Gomes (PSDB-PE) em 2016 e permanece esquecida na Comissão de Constituição e Justiça. O tucano sustenta que a evolução tecnológica e dos meios de comunicação “proporciona sem custos relevantes a todos os partidos e cidadãos a veiculação de suas ideias e promoção de debates políticos”.

Bolsonaro x Haddad

Com a iminente migração da maioria dos partidos do Centrão para apoiar o petista Fernando Haddad – há rachas internos no Centrão pró-Bolsonaro -, o ex-capitão usará o mesmo tom adotado nas críticas a Geraldo Alckmin (PSDB) à época em que PP, DEM, Solidariedade e PRB anunciaram apoio ao tucano.

Memória

Um mês antes do início da campanha, Bolsonaro disse que Alckmin havia reunido “a nata de tudo que não presta no Brasil ao lado dele”. Bolsonaro também é aconselhado a dizer que esses partidos integraram a base aliada dos Governos Lula e Dilma para carimbar o eventual governo de Haddad de “retrocesso”.

“Semancol”

Mas… vale lembrar a Bolsonaro que a sua frente suprapartidária de apoio de 110 deputados federais tem muita gente do Centrão.

Visão de Lula

Haddad concentra a campanha no Sul e no Sudeste porque, para ele e Lula, há segurança de que o Barba consegue transferir em peso seus votos do Nordeste para o candidato.

IFs com PT

Educadores dos Institutos Federais entregarão manifesto de apoio à candidatura de Haddad em sua passagem por Porto Alegre. Texto destaca que foi ele, como ministro da Educação, quem criou 214 escolas no País.

Risco dos nanicos

Para manter o recebimento dos milhões do chamado Fundo Partidário, partidões e legendas nanicas direcionam a maior parte dos recursos para campanhas de candidatos a deputado federal. Isso porque, a partir de 2019, legendas que não tiverem, no mínimo, nove deputados eleitos ou 1,5% dos votos válidos estarão fora da divisão do Fundo.

Planilha

Até o momento, de acordo com a prestação de contas à Justiça Eleitoral, os partidos nanicos destinaram maior parcela do dinheiro: PMN, 91,2% de R$ 5,1 milhões; Avante, 72,7% de R$ 9,6 milhões e Patriota, 69,9% de R$ 7,5 milhões. As candidaturas a deputado federal já custaram, até agora, mais de R$ 2 bilhões em recursos públicos.