Brasil fecha Rali Dakar com dobradinha

Não foi um Rali Dakar fácil para os brasileiros, mas a edição de 2019 ficará gravada na memória da maioria por muito tempo. Histórias não faltaram: os atuais campeões superando as piores quebras para terminarem em um honroso pódio, uma dupla estreante que terminou o evento em alta, outra sofrendo com os perigos do Dakar e um par de “anjos” que, de tão prejudicados na competição por conta de quebras, resolveu parar para ajudar quem precisava – e, por ironia do destino, não conseguiu ser salva das armadilhas no penúltimo dia.

Depois de assumirem a liderança por duas vezes e perderem na mesma velocidade por conta de problemas, Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin não conseguiram manter a faixa de campeões por mais um ano, mas carimbaram a dos novos detentores do título, Chaleco Lopez e Alvaro Quintanilla, com uma vitória na décima e última etapa, trazendo junto os destaques desse fim de rali, Cristian Baumgart e Beco Andreotti, que encerram sua primeira participação em um honroso nono lugar, enquanto Varela e Gugelmin garantiram de forma suada um terceiro lugar no pódio.

“Fomos bem. Perdemos para nós mesmos. Quebrei o carro, furei pneu, mas nosso UTV em si não teve problema nenhum, foi até o fim. Hoje eu andei realmente forte e foi tudo maravilhoso. Terceiro lugar depois de tudo está justo. Vamos agora pensar em 2020 e refletir onde erramos para melhorar e vencer no ano que vem”, destaca Varela. “Foi um rali inesquecível, é emocionante estar aqui. A vontade de voltar já é grande e quem sabe eu volte mais bem preparado. Quero fazer mais etapas do Mundial para aprender mais. Depois desse rali eu agora tenho prazer em andar na areia”, resume Cristian. “Completar o primeiro Dakar entre os dez foi maravilhoso.Foi melhor que esperava. Fica de aprendizado, mais bagagem, e essa última etapa foi demais. Se o Cristian animar estamos de volta ano que vem”, afirma Andreotti.

Já Marcos Baumgart e Kleber Cíncea terminaram em sexto na tabela geral após sofrerem com os perigos do Dakar – UTV tombada e atolada, além de quebras consideradas normais dadas as exigências do rali, os impediram de evoluírem ainda mais na tabela de classificação. “Dakar é Dakar, não tem preço completar. Só aqui para saber. Largar já é uma vitória, chegar é um sonho que conseguimos realizar, meu irmão e eu, na nossa estreia nos UTVs. Aprendemos muito e perto do que esperávamos fomos muito bem”, relata Marcos. "Cumprimos a nossa meta”, celebra Cincea.

Por outro lado, Lourival Roldan, do alto de seus 60 anos, navegou o português Miguel Jordão até a sétima posição na classificação geral de 2019. “Completo meu oitavo de dez. Hora de agradecer. Meu piloto e as pessoas que me permitiram estar aqui, pois ninguém vem sozinho para cá, tem uma legião de pessoas apoiando e motivando. Foi um Dakar divertido e o Peru é um paraíso para fazer o rali”, comenta Lourival.

Por fim, Bruno Varela e Maykel Justo podem não ter ganhado troféu, mas levariam com sobra o prêmio de dupla mais solidária do rali. Apelidada internamente de “Madre Tereza de Calcutá”, a dupla ajudou praticamente todos os compatriotas quebrados na competição e teve seus planos arruinados pelas arapucas do Dakar no penúltimo dia – e as ajudas recebidas não impediram o abandono no finalzinho.

Além de Bruno e Maykel, duas baixas da caravana brasileira: os representantes (e estreantes) das motos Marcos Colvero e Lincoln Berrocal – o mais velho entre os competidores das duas rodas, com 60 anos -, que não fizeram feio enquanto estiveram em ação.

No total, foram dez dias de competição e 5.603 quilômetros percorridos dentro do Peru, sendo 2.961 deles de trechos cronometrados, passando pelas cidades de Lima, Pisco, Arequipa, Tacna, Moquegua e San Juan de Marcona.


Christian busca 4º título em Daytona

O brasileiro Christian Fittipaldi encerra no fim deste mês sua grande trajetória no automobilismo na disputa da 57ª edição das 24 Horas de Daytona. O piloto, que completa 48 anos hoje, tentará pela quarta vez vencer essa tradicional corrida a bordo do Mustang Sampling Cadillac DPi-V.R nº 5 da equipe Action Express Racing. O brasileiro estará ao lado dos portugueses João Barbosa e Filipe Albuquerque, com os quais venceu as 24 Horas de Daytona de 2018, e também do britânico Mike Conway.

Interlagos tem o F-Master Kart hoje

O primeiro grande evento da temporada 2019 do kartismo no Kartódromo de Interlagos, em São Paulo (SP), acontece hoje, a partir das 22h, com a realização do 2º Mini-Endurance Fórmula Master de Kart. Para a edição deste ano houve uma alteração no regulamento. Em 2019 não haverá participação de duplas. Os pilotos correrão individualmente na prova de uma hora de duração, com uma parada obrigatória de quatro minutos para a troca de kart.