WASHINGTON – O chefe do Departamento de Polícia de Dallas defendeu veementemente o uso de um robô equipado com uma bomba para a matar o atirador que causou a morte de cinco policiais em um protesto contra a violência policial.

Ao assumir sua responsabilidade sobre a aprovação do plano no rescaldo do ataque de quinta-feira, David Brown disse que estava convencido de que o atirador teria tentado atingir outros policiais, se tivesse hesitado em dar o seu aval para a operação.

– Aprovei e teria feito isso de novo se fosse apresentado às mesmas circunstâncias – disse Brown à rede de TV CNN, neste domingo,. referindo-se a estratégia utilizada para atingir uma sala onde o suspeito estava escondido após o tiroteio.

Depois de duas horas de negociações sem sucesso com o atirador, Brown pediu a um oficial que “usasse a imaginação’ para inventar uma estratégia para imobilizar o atirador, mais tarde identificado como Micah Xavier Johnson, de 2 anos.

– Ele parecia muito consciente e determinado a ferir outros oficiais – disse o chefe do departamento, revelando que Johnson provocou os negociadores e perguntou quantos oficiais ele havia atingido com tiros. – Sem nossas ações, ele teria machucado mais policiais.

Brown disse que mantém sua decisão, mas entende porque foram levantadas questões sobre o uso de força letal, em vez de um método não-letal.

– Aprecio os críticos, mas eles não estão em campo. E suas vidas não estão em risco – disse o chefe.