Cerca de 80% da população mundial sofre com lombalgia, diz estudo

A lombalgia pode ser originada por traumatismo pelo movimento crônico ou momentâneo como torções, carregar peso, envelhecimento, infecção dos discos intervertebrais e doenças reumáticas.

Segundo pesquisa publicada pela revista cientifica The Lancet em 2018, a dor lombar é o principal fator incapacitante em todo o mundo, afetando aproximadamente 540 milhões de pessoas, cerca de 80% da população mundial. Dados da OMS (Organização Mundial de Saúde) apontam que lombalgia (dor na região lombar) é a segunda maior causa de visita aos consultórios médicos, perde apenas para dor de cabeça.

No Brasil, último levantamento do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) de 2018 aponta crescimento de 6% no volume de afastamento de trabalhadores por doenças ou complicações de saúde. Com mais de 83 mil casos, lombalgia é a principal causa.

A lombalgia pode ser originada por traumatismo pelo movimento crônico ou momentâneo como torções, carregar peso, envelhecimento, infecção dos discos intervertebrais e doenças reumáticas.

Para corrigir a doença existem alguns recursos terapêuticos como fisioterapia, LEDterapia e reeducação postural.

Segundo o fisioterapeuta Alexandre Alcaide, a fisioterapia, agregada aos LEDs, auxilia no fortalecimento dos músculos e articulações, além de aliviar a dor.

Um dos procedimentos utilizados em clínicas especializadas são os tratamentos baseados em LEDterapia, como o Sportllux, que atua como ação analgésica e anti-inflamatória. “A terapia com luz de baixa potência também pode ser usada no tratamento e prevenção desta condição”, explica o especialista, que completa: “Estes dispositivos realizam fotobiomodulação, ou seja, utilizam da estimulação fotodinâmica para promover efeitos fisiológicos, atuando na recuperação dos músculos e prevenindo dores”.

O Sportllux é um dispositivo, único no mercado, que emite luzes vermelha e infravermelha, estimulando a produção de ATP intracelular, que nada mais é do que a energia que o corpo humano necessita para funcionar. O ATP aprimora a função celular, trazendo inúmeras respostas benéficas ao organismo, entre elas a regeneração muscular acelerada, gerando resposta terapêutica.

Segundo o angiologista Álvaro Pereira, idealizador do Sportllux, quando ocorre a interação da luz com os tecidos do corpo há um aumento de ATP (energia) mitocondrial e óxido nítrico. “O ATP auxilia na contração muscular e atua no reparo tecidual das lesões em nervos periféricos, além de aliviar a dor e atrasar o aparecimento da fadiga muscular, podendo ainda ter uma ação protetora sobre o desenvolvimento de dores crônicas e aguda”, afirma o médico.



Fale com a Redação

quinze + catorze =