A Prefeitura de Cascavel abriu licitação para contratação de uma empresa de escolta armada que fará a segurança dos dez centros sociais da Secretaria de Assistência Social do Município. A licitação se dará na modalidade pregão eletrônico e tem um valor máximo de R$ 311.960 mensais, num total de R$ 3.743.520 por ano.

De acordo com o secretário Hudson Moreschi, a contratação visa proporcionar mais segurança e melhores condições de trabalho aos servidores nesses locais. “Esse serviço especializado é necessário para proteger as pessoas em situação de risco e os trabalhadores que estão lá na unidade. Muitas vezes, os servidores não são preparados para a defesa, e esse é o objeto dessa licitação: a segurança dessas pessoas”.

Além de esses espaços atenderem a situações de conflitos pessoais e familiares, entre as justificativas apresentadas pela secretaria estão os relatos de vandalismo, arrombamentos e furtos registrados em algumas unidades.

As dez unidades que receberão o serviço de segurança especializada são: Cras (Centro de Referência de Assistência Social) e CCI (Centro de Convivência Intergeracional) Morumbi; Cras e Praça Céu; CCI Cascavel Velho; Centro da Juventude; Creas Augusto Daniel Weber; Unidades de Acolhimento Institucional Feminina e Masculina; Abrigo de Mulheres; Casa POP; e, Centro POP.

Desses espaços, oito atendem 24 horas e dois funcionam 12 horas.

Reputação e técnica

As propostas serão abertas no dia 4 de fevereiro e, além de possuir escritório no Município, a empresa deverá apresentar atestados de capacidade técnico-operacionais emitidos por órgão jurídico. A empresa deverá provar que já desempenhou tarefa semelhante e quais os lugares atendidos e suas características, e provar ter cumprido a função de modo satisfatório.

A contratada deverá fornecer 38 profissionais capacitados para portar arma, que serão subdivididos em escalas para atender os locais previstos na licitação.