Cascavel – Cascavel que já tem política pública de valorização da população idosa deu um passo a mais sexta-feira (12) ao aderir ao programa da OPAS (Organização Pan-Americana de Saúde) e OMS (Organização Mundial de Saúde) e passa a integrar a integrar a Rede Global de Cidades e Comunidades Amigáveis à Pessoa Idosa. A adesão aconteceu durante seminário realizado no auditório da Unipar para discutir ações e políticas voltadas aos idosos.

A cidade tem adaptado suas estruturas e tornado seus serviços acessíveis à população idosa. O prefeito Leonaldo Paranhos disse que a cidade tem trabalhado ações de inclusão da população idosa em seus programas de governo para garantir um envelhecimento cada vez mais saudável. “Fico feliz porque alcançamos essa maturidade de entender que uma cidade deve e precisa ter um programa para retribuir um pouco a importância a essas pessoas que tanto contribuíram e continuam contribuindo”, afirmou o prefeito.

O secretário de Assistência Social, Hudson Moreschi Junior, dsse que a adesão ao programa Cidade Amiga do Idoso vai fortalecer o planejamento da política do idoso em Cascavel. “Nosso grande desafio é trabalhar de uma maneira intersetorial, visto que o idoso precisa que tenhamos um olhar na política de saúde, política de assistência social e política de trabalho”, enfatiza.

A deputada federal Leandre Dal Ponte, que preside a Comissão Externa de Acompanhamento do Envelhecimento Saudável na Câmara dos Deputados, classificou a inclusão de Cascavel no programa Cidade Amiga do Idoso como um “momento especial”, mas lembrou que mesmo antes da OMS trabalhar a Década do Envelhecimento Ativo e Saudável, o prefeito Paranhos já tinha um olhar voltado à população dessa faixa etária.

“A gente fica bastante satisfeito quando vê uma gestão pública que muito anos antes da OMS, da ONU declarar a Década de Envelhecimento Saudável, já vem fazendo um grande trabalho. O prefeito Paranhos desde quando era deputado estadual já tinha esse trabalho. Foi ele que me inspirou a trabalhar esse tema na Câmara dos Deputados e hoje a gente vê esse projeto se concretizando aqui”, afirmou.

Nilza Pacheco de Moraes, que integra o Conselho do Idoso, disse que Cascavel é uma cidade que pensa na chamada terceira idade. “O governo municipal está sempre apoiando os projetos. Não se retira nunca da causa. Cascavel é uma cidade amiga do idoso”, enfatiza.

 

Sensibilidade

Lely Guzmán, coordenadora de família, gênero e curso de vida do escritório da OPAS e OMS no Brasil, lembra que o programa Década do Envelhecimento Saudável deveria ter iniciado em outubro do ano passado, mas foi o início dos trabalhos foi adiado por conta da pandemia. Segundo ela, o objetivo é “sensibilizar as pessoas, os tomadores de decisões, a comunidade e a população em geral a se preparar para essa dinâmica de mudança populacional que estamos tendo”.

Estados como o Paraná e Rio Grande do Sul terão, em 2026, mais pessoas acima de 65 anos do que a população menor de 15.

 

Foto: Secom