A campanha nacional de vacinação contra a influenza começa nesta segunda-feira (23). A meta do Ministério da Saúde é imunizar 54,4 milhões de pessoas, que fazem parte do grupo considerado "mais suscetível" ao agravamento de doenças respiratórias.

A contraindicação da vacina é para quem tem alergia severa a ovo.

A vacina deste ano tem a possibilidade de proteger contra três tipos de vírus da gripe: o Influenza A, nas variações H1N1 e H3N2 e influenza B. Para o ministério, o acréscimo da proteção contra o H3N2 acontece após a infecção de 47 mil pessoas no hemisfério norte, em janeiro, mas no Brasil, segundo Carla Domingues, coordenadora-geral do programa de imunização do ministério, “não há nenhuma evidência que teremos uma circulação forte do H3N2”.

Dia D será em 12 de maio

O Ministério da Saúde anunciou que o Dia D será 12 de maio, quando ocorre a mobilização nacional. Nesse dia, os 65 mil postos de vacinação do País estarão em funcionamento. A meta é distribuir 100% das doses para todo o público-alvo e, se eventualmente houver uma sobra de vacina, as demais pessoas serão imunizadas. O Ministério da Saúde afirma que não haverá prorrogação da campanha, que segue até 1º de junho.

Casos confirmados

No ano passado, o Brasil confirmou 394 casos de contaminação por uma das três variações da influenza. Ao todo, segundo a Saúde, 66 pessoas morreram.

Até 14 de abril deste ano, o governo já registrou 392 casos de influenza em todo o País, com 62 óbitos. Do total, 190 casos e 33 mortes foram por H1N1. Em relação ao vírus H3N2 foram 93 casos e 15 mortes.

Veja qual é o público-alvo para receber as doses gratuitamente no SUS:
pessoas a partir de 60 anos
crianças de seis meses a cinco anos
trabalhadores da área de saúde
professores das redes pública e privada
mulheres gestantes e puérperas
indígenas
pessoas privadas de liberdade (incluindo adolescentes cumprindo medidas socioeducativas)
profissionais do sistema prisional
portadores de doenças que aumentam o risco de complicações em decorrência da influenza

Por que é importante se proteger contra a gripe todos os anos?

A gripe (influenza) é uma infecção viral respiratória aguda e altamente contagiosa, sendo mais grave do que um resfriado comum, podendo levar a complicações médicas sérias. A doença pode afetar qualquer pessoa em qualquer idade, sendo facilmente transmitida através da tosse, espirro e contato próximo com uma pessoa ou superfície contaminada.

A gripe é causada, principalmente, por quatro cepas do vírus influenza: 2 cepas A (H1N1 e H3N2) e 2 linhagens B (Yamagata e Victoria). E, como esses vírus estão em constante mudança de um ano para outro, novas vacinas precisam ser produzidas anualmente e por isso é importante se vacinar contra a gripe todos os anos.

Anualmente, a composição das vacinas de gripe é definida pela OMS (Organização Mundial de Saúde). Para 2018, a OMS anunciou que houve modificação na cepa A H3N2.

Surtos

Atualmente, os Estados Unidos e a Europa passam por um dos mais intensos surtos de gripe com altas taxas de casos confirmados e hospitalizações. De outubro de 2017 a 3 de março de 2018, os EUA tiveram 24.664 hospitalizações confirmadas por Gripe (Influenza). Já na Europa, desde outubro de 2017, foram confirmados 20.312 casos de gripe e 11.434 hospitalizações.

No Brasil, conforme dados do Ministério da Saúde, o número total de casos confirmados de influenza até o fim de outubro de 2017 foi de 2.412, sendo pacientes com uma mediana de idade de 45 anos – faixa etária que não é contemplada pela vacina oferecida no Programa Nacional de Imunizações . Dentre os casos de influenza, tivemos predomínio para o vírus influenza A (H3N2) com 64,5% e influenza B com 25,4%, sendo assim responsáveis por quase 90% dos casos. O estado com maior número de óbitos por influenza foi São Paulo, com 35,8% dos registros.

Diferenças entre gripe e resfriado

A gripe e o resfriado são doenças respiratórias, mas são causados ??por diferentes vírus. Em geral, a gripe é pior do que o resfriado comum, e os sintomas são mais intensos. As pessoas com resfriado são mais propensas a apresentar sintomas como nariz escorrendo ou entupido. Os resfriados geralmente não levam a complicações de saúde, como pneumonia, infecções bacterianas ou hospitalizações. A gripe pode ter complicações associadas muito graves. Os sintomas da gripe podem incluir febre alta ou sensação de febre/calafrios, tosse, dor de garganta, nariz entupido, dores musculares ou corporais, dores de cabeça, fadiga (cansaço), sendo uma doença potencialmente fatal.

Febre amarela e gripe

Devido ao surto de febre amarela no País, é importante esclarecer para a população a possibilidade de imunização concomitante, ou em datas próximas, com as vacinas de gripe (inativada) e febre amarela (atenuada):

1. Atualmente não existem estudos que avaliaram especificamente a possível interferência na resposta imune entre as vacinas de febre amarela e gripe (Influenza).
2. Não existem evidências de que a administração concomitante da vacina de febre amarela com vacinas inativadas produza interferências nas respostas imunes e na segurança das vacinas, sendo elas aplicadas simultaneamente ou com qualquer intervalo e/ou ordem entre as administrações.
3. Estudos clínicos limitados demonstraram que a resposta imunológica gerada pela vacina de febre amarela não é inibida pela administração de outras vacinas simultaneamente ou com intervalos de 1 dia a 1 mês.
4. Sendo assim, a OMS (Organização Mundial de Saúde) e outras entidades de saúde não exigem um período mínimo de intervalo entre as doses e não contraindicam a administração de vacinas inativadas simultaneamente ou em qualquer momento antes ou após a vacinação contra febre amarela.