Opresidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a defender a indicação do juiz Kassio Marques para o STF (Supremo Tribunal Federal), diante de algumas críticas que tem recebido de parte dos apoiadores.

Em conversas com simpatizantes nos jardins do Palácio da Alvorada, nesta segunda-feira (5), foi Bolsonaro quem puxou o assunto sobre a indicação. “Tem muita crítica pra minha indicação pro Supremo aí ou não?“, questionou, dirigindo-se às pessoas que o aguardavam.

“Indicar pro Supremo é igual escalar Seleção Brasileira, todo mundo tem seu nome, e aquele que não entrou o nome dele, ele reclama, e começa a acusar esse cara de tudo. Esse mesmo pessoal que, no passado, queria que eu botasse o Moro, né?”, reclamou.

O chefe do Executivo defendeu a escolha das “acusações de ser comunista” por uma suposta relação com o Partido dos Trabalhadores (PT), devido ao fato de a esposa de Marques já ter trabalhado em gabinetes de senadores petistas.

“Acusam ele de comunista: ele trabalhou com o PT. O Tarcísio trabalhou também com o PT. Parece que o ministro da Defesa também trabalhou com o PT. Um montão de militar aqui serviu no governo do PT. Olha, aquele cara ali [aponta] foi ajudante de ordens da Dilma e do Lula, e aí, vou pegar esse cara e falar que não pode mais ser do Exército?”, questionou o presidente.

Fonte: Jornal Metrópoles