Rio de Janeiro – Depois de 32 dias de preparação, 11 deslocamentos e sete vitórias em oito amistosos disputados, a seleção brasileira masculina de basquete inicia neste fim de semana as disputas da Copa do Mundo, na China. O Brasil está no Grupo F, com Montenegro, Nova Zelândia e Grécia. A estreia será às 5h (de Brasília) deste domingo (1º), contra os neozelandeses.

A competição, que irá até 15 de setembro, vale vaga aos Jogos Olímpicos Tóquio 2020, mas a missão é ingrata para o Brasil, que precisa ser um dos dois melhores das Américas, que tem a equipes dos Estados Unidos como favorita a ficar com uma das vagas, e o título mundial.

Assim, os brasileiros precisam terminar a participação na China à frente das seleções de Canadá, Argentina, Porto Rico, República Dominicana e Venezuela. Na teoria, pelo chaveamento da competição, se o Brasil chegar às quartas de final alcançará o objetivo.

Neste Mundial, a seleção brasileira mescla experiência com juventude, caso dos veteranos Alex Garcia, de 39 anos, Varejão, Marquinhos, Leandrinho, Benite e Huertas, e jovens como Yago, Caboclo, Didi e Cristiano Felício. O grupo é dirigido pelo técnico croata Aleksandar Petrovic, o que confirma uma tendência nos últimos anos. Nas Copas do Mundo anteriores, o Brasil teve sempre estrangeiros como técnico: Moncho Monsalve (2010) e Rubén Magnano (2014).