Trabalhadores de diversos setores da construção civil de Cascavel estão se organizando devido ao atraso no repasse de verbas pelo governo federal referente ao programa Minha Casa, Minha Vida.

O grupo estava se articulando para realizar um protesto em frente à Caixa, agência central de Cascavel. Porém, de acordo com eles, o banco pediu um prazo de dois dias para normalizar a situação e repassar os valores devidos.

“Nós estamos há 15 dias sem receber os repasses, para nós isso é um descaso, porque construímos as casas conforme as regras exigidas pela Caixa, mas chega o momento de assinar os contratos e eles dizem que não tem verba e nós ficamos com as contas para pagar”, afirma a incorporadora Fabiana Paula dos Santos.

Ela explica que a decisão de adiar a manifestação foi uma escolha da categoria. “Antes mesmo de nós fazermos a solicitação eles pediram esse prazo, então acreditamos que já estamos chegando a um resultado. Mas, caso o repasse não seja feito até o fim da semana, nós faremos a manifestação”.

Fabiana acrescenta: “Não são somente as construtoras que dependem desse valor, mas também os funcionários, os prestadores de serviços, as lojas de materiais de construção, de tinta e de materiais elétricos, os corretores, enfim, muita gente sai perdendo”.

A reportagem procurou a gerência da Caixa para explicar as razões do atraso e o valor devido, mas não houver retorno.

Reportagem: Milena Lemes