Artesã de maringá produz máscaras com transparência para nutricionista com deficiência auditiva

A máscara é feita com um visor de plástico transparente que possibilita a visualização dos lábios e o entendimento da fala.

A equipe do setor de nutrição do Hospital Municipal da Prefeitura de Maringá produziu máscaras transparentes para facilitar a leitura labial de uma funcionária com deficiência auditiva.

Quando usar máscara de pano

A nutricionista, Keila Vilhena de Paiva possui 75% da audição no ouvido direito e perdeu a 95% da capacidade de escutar com o esquerdo, o que dificulta a leitura labial com as máscaras tradicionais. “Fui surpreendida com a atitude das minhas colegas de trabalho. Um momento inesquecível”, reconhece e agradece a mobilização da equipe.

A ideia surgiu de Shana Waltz, que notou a dificuldade da colega em se comunicar durante o trabalho. A máscara foi produzida por uma artesã do município com tecido e um visor de plástico transparente que possibilita a visualização dos lábios e o entendimento da fala. As cinco funcionárias da equipe também receberam o equipamento de seguranças adaptado.

Mosquito da dengue nas áreas externas


Fale com a Redação

dezesseis + oito =