Curitiba – Ainda registrando alguns números recordes, como 5.945 internados (2.454 em UTIs) e 301.305 casos ativos (com capacidade de transmissão), a Secretaria de Saúde informa pelo segundo dia seguido uma forte queda de novos casos e mortes por covid-19. Em decorrência, as médias móveis de casos e mortes despencaram quase 40%.

Nessa segunda-feira, foram confirmados 1.308 novos casos e 22 mortes; no domingo, foram 2.399 e 28, respectivamente. Com isso, a média móvel (de sete dias) de casos caiu para 3.095/dia, queda de 36%, e a de mortes caiu 39%, para 63/dia.

Embora no fim de semana possa haver queda no número de confirmações, ainda assim são os menores informados em três meses e meio, ou seja, desde a primeira quinzena de fevereiro, antes do pico de março.

A Secretaria de Saúde não informou a razão da queda, mas, no boletim, constam apenas 4 mil exames em análise. Já no caso das mortes, pode ser atraso no envio dos dados das Regionais de Saúde, mas o que acontece desde o início da pandemia.

Ontem, por exemplo, Foz do Iguaçu confirmou 11 óbitos, enquanto Cascavel informou sete. Essas mortes ainda não constam no boletim estadual, que totaliza 1.087.596 infectados desde o início da pandemia, dos quais 26.272 não sobreviveram.

Já com relação aos leitos, mesmo com incremento nos últimos dias, o Estado se mantém com 95% de taxa de ocupação de UTIs, tendo apenas 90 disponíveis, das 1.954 SUS. A maior taxa é da Macronoroeste, de 97%, seguida da Macro-Oeste, com 96%, sendo 8 e 14 leitos vagos, respectivamente.

Estado distribui 37.440 doses da Pfizer

O Paraná distribuiu nessa segunda-feira (31) 37.440 doses da vacina contra covid-19 produzida pela Pfizer/BioNTech a 21 municípios do Paraná. Desses, 12 recebem o imunizante da farmacêutica norte-americana pela primeira vez. A ação faz parte de uma estratégia de descentralização das vacinas para o Interior do Estado.

Os municípios contemplados pela distribuição são Araucária, Campo Largo, Curitiba, Ponta Grossa, Guarapuava, União da Vitória, Pato Branco, Francisco Beltrão, Foz do Iguaçu, Cascavel, Campo Mourão, Umuarama, Paranavaí, Maringá, Apucarana, Londrina, Bandeirantes, Jacarezinho, Santo Antônio da Platina, Toledo e Telêmaco Borba. Com isso, a vacina chega a 17 das 22 Regionais de Saúde do Paraná.

Quatro regionais recebem os lotes por via terrestre: Curitiba e RMC, Ponta Grossa, União da Vitória e Telêmaco Borba. As demais regionais receberão as doses por via aérea, partindo do Aeroporto Bacacheri. São elas Guarapuava, Pato Branco, Francisco Beltrão, Foz do Iguaçu, Cascavel, Toledo, Campo Mourão, Umuarama, Paranavaí, Maringá, Londrina, Cornélio Procópio e Jacarezinho.

As doses integram a 21ª remessa de vacinas do Ministério da Saúde, e são destinadas aos grupos prioritários de comorbidades e pessoas com deficiência.

Saúde não exige mais cadastro no BPC

A Secretaria da Saúde do Paraná orientou os municípios a ampliarem a vacinação no grupo prioritário de pessoas com deficiência permanente grave e que deixem de exigir a comprovação do cadastro no BPC (Programa de Benefício de Prestação Continuada). O benefício é concedido pelo governo federal para idosos e pessoas com deficiência em situação de vulnerabilidade social.

Após análise técnica, a Secretaria verificou que parte desse público, ainda que enquadrada no grupo prioritário, não possui o cadastro, o que os impedia de ter o acesso à vacina. “Não queremos dificultar nem burocratizar a vacinação, principalmente neste momento. O objetivo do governo do Estado, orientado pelo governador Ratinho Junior, é fazer com que as vacinas cheguem até os paranaenses o mais rápido possível para que em breve todos estejam imunizados”, disse o secretário da Saúde, Beto Preto.

Pessoas elencadas nesse grupo deverão apresentar laudos médicos ou documentos oficiais com indicação da deficiência para receber o imunizante.

Ainda segundo o secretário, essa mudança pode beneficiar mais pessoas que já possuem direito à vacina. “Acreditamos que essa flexibilização irá possibilitar maior abrangência dentro dos grupos prioritários, além de aumentar a cobertura vacinal dessa população que já é considerada como prioritária, mesmo sem o BPC”, afirmou Beto Preto.

 

Números

Segundo os dados do Ministério da Saúde, o Paraná já aplicou 3,6 milhões de doses de vacina contra a covid-19 até essa segunda-feira (31). Ao todo, 17.007 doses foram aplicadas no grupo de deficiência permanente grave, sendo 16.912 primeiras doses (D1) e 95 segundas doses (D2).

A estimativa do Ministério da Saúde é de que o Estado tenha 400.682 pessoas dentro deste grupo prioritário. A vacinação destas pessoas iniciou simultaneamente com o grupo de comorbidades, gestantes e puérperas, estimados em mais 1,3 milhões de paranaenses.