Apenas sete das 63 escolas privadas entregaram protocolo para retomada

O documento, com o plano detalhado, deve ser enviado para análise do órgão e somente se for aprovado a instituição pode reabrir

Cascavel – Dados da Vigilância Sanitária de Cascavel mostram que apenas sete das 63 escolas particulares do Município enviaram ao órgão o Protocolo de Contingência de Responsabilidade Sanitária específico para evitar a contaminação por covid-19. O documento, com o plano detalhado, deve ser enviado para análise do órgão e somente se for aprovado a instituição pode reabrir.

UNIMED OUTUBRO

Além das sete que enviaram, uma instituição definiu retorno somente em 2021 e outras duas encerraram as atividades por conta do período em que as atividades foram suspensas desde o início da pandemia. Restam então 53 escolas que não enviaram os planos, destas, 20 já receberam a visita dos técnicos da vigilância sanitária, mas, por enquanto, com o objetivo de orientar as instituições que para o retorno havia necessidade de enviar um protocolo.

Ainda de acordo com o órgão, os próximos dias serão destinados à análise dos protocolos já entregues.

Após a reabertura das escolas, as inspeções vão continuar para fiscalizar o cumprimento do Protocolo de Contingência.

 

Retomada dividida

A reportagem consultou algumas instituições sobre possível retomada das atividades curriculares, com base no decreto municipal, como atividades extracurriculares liberadas pelo Estado.

Algumas ainda não têm definição sobre nenhuma das situações e ainda dialogam com os pais para verificar o real interesse em enviar os alunos.

Outras ainda, como o Colégio Marista, já enviaram o protocolo e avisaram os pais que organizam a retomada das atividades extracurriculares, porém, sem data definida.

Já o Colégio FAG confirma a retomada na segunda-feira (19) das atividades extracurriculares, em regime de contra-turno e seguindo o protocolo recomendado.

Outra instituição, que pediu para não ser identificada, já retomou as aulas presenciais de todos os níveis seguindo o decreto municipal, mesmo sem o aval da Secretaria de Estado da Educação, que afirma não validar as aulas ministradas presencialmente sem a liberação da Secretaria de Estado da Saúde. A instituição mantém o modelo híbrido, com aulas presencias e remotas.

O Sinepe (Sindicato das Escolas Particulares) não tem o número exato de instituições que devem retomar o ensino regular nem extracurricular, mas informa que pelo menos 30 intuições – que demonstraram interesse no retorno – devem voltar gradativamente com as duas modalidades em Cascavel.

Ainda sobre a validação do ensino, o sindicato garante ter parecer jurídico que mostra que não há possibilidade de não validação das aulas presenciais ministradas: “Nós já temos parecer jurídico do próprio Sinepe que mostra que não há como a Seed não reconhecer as aulas presenciais ministradas. A secretaria só poderia criar algum empecilho caso os colégios não cumprissem o seu papel de educar, como estão fazendo a contento não há como não ser validado”, afirma o presidente do Sinepe – Regional Oeste, Gelson Luiz Uecker.

 

JK

Receba as principais notícias através do WhatsApp

ENTRAR NO GRUPO

Lembre-se: as regras de privacidade dos grupos são definidas pelo Whatsapp. Ao entrar seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.


Fale com a Redação