São Paulo – A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) concedeu nessa quarta-feira (9) a autorização para que o Instituto Butantan realize a pesquisa clínica da vacina ButanVac. Dessa forma, o imunizante poderá ser testado em humanos pela primeira vez.

Para que o estudo clínico fosse autorizado, a Anvisa e o Instituto Butantan realizaram intensa troca de informações ao longo dos últimos dois meses. Além disso, foram conduzidas reuniões para que todos os aspectos do estudo fossem esclarecidos, garantindo a segurança dos voluntários. A anuência da pesquisa será publicada nesta quinta-feira (10) no DOU (Diário Oficial da União).

A aplicação experimental da Butanvac será conduzida por meio das fases clínicas 1 e 2 e será dividida em três etapas: A, B e C. No momento, está autorizada apenas a realização da etapa A, que envolve 400 voluntários. Ao todo, as fases 1 e 2 preveem 6 mil voluntários com 18 anos ou mais.

A Butanvac será aplicada nos voluntários em duas doses em um intervalo de tempo de 28 dias. A previsão é de que o estudo seja realizado no Hospital das Clínicas (FMUSP) e no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto.

Em publicação nas redes sociais, o governador João Doria (PSBD) comemorou a notícia: “A Anvisa acaba de autorizar os testes clínicos com a ButanVac, a vacina do Butantan contra a covid-19, que não depende de insumos de outros países para sua produção. O Instituto Butantan já tem 7 milhões de doses prontas da ButanVac. Grande notícia”, escreveu.

Foto: Governo de São Paulo