Foz do Iguaçu – Com uma medalha de ouro e outra de bronze, a canoísta Ana Sátila subiu ao pódio duas vezes em Augsburgo, na Alemanha, durante a terceira etapa da Copa do Mundo de Canoagem Slalom, no fim de semana. O primeiro lugar no K1 Extremo Cross e o terceiro no C1 Feminino fizeram Ana mais uma vez registrar o seu nome na história brasileira da modalidade, desta vez como a primeira atleta do Brasil a conquistar medalhas consecutivas nas três primeiras etapas do circuito mundial.

Principal nome do País na canoagem slalom atualmente, Ana já havia conseguido uma prata no K1 Extremo Cross, na Eslováquia, e um bronze no C1 Feminino, na Polônia. As quatro medalhas nas três etapas iniciais de 2018 projetam um ano histórico para a atleta, que ainda terá pela frente mais duas etapas da Copa do Mundo, o Mundial Jr e Sub-23 e o Mundial Sênior.

Aos 22 anos, Ana Sátila já traz no currículo duas participações em Olimpíada (Londres 2012 e Rio 2016) e os títulos de campeã mundial júnior em 2014 e vice-campeã sub-23 em 2015.

Mineira de nascimento, com poucos anos de idade Ana Sátila foi morar em Primavera do Leste, no Mato Grosso, onde conheceu a canoagem. Em 2012 mudou-se para Foz do Iguaçu, cidade-sede da equipe permanente de canoagem slalom do Brasil, e passou a treinar no Canal Itaipu, dentro da usina de Itaipu.

A Itaipu Binacional é uma das entidades apoiadoras da canoagem brasileira e patrocina o Projeto Meninos do Lago, voltado ao ensino da modalidade esportiva a jovens matriculados em escolas públicas de Foz.