Apesar de ter dito que havia conversado com prefeitos e associações de municípios antes de anunciar o novo decreto que impõe quarentena em 134 municípios do Estado, o governador Ratinho Junior não antecipou a reação de parte dos gestores. No oeste, por exemplo, além do prefeito Leonaldo Paranhos adiantar que pretende recorrer e tirar a cidade do decreto, Toledo não parece que irá adotar as medidas e a própria Amop (Associação dos Municípios do Oeste do Paraná) convocou para a manhã desta quarta-feira (1º) uma videoconferência para discutir quais medidas os prefeitos podem tomar.

O prefeito de Matelândia e presidente da entidade, Rineu Menoncin, o Texerinha, disse, em entrevista à Rede Costa Oeste de Comunicação, que os municípios foram surpreendidos com a decisão do governo estadual e falou da preocupação com a economia das cidades.

Contudo, o presidente da Amop relatou que os municípios deverão acatar a decisão do Estado, por receio de sofrerem alguma sanção.

Já o prefeito de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro, disse na noite desta terça que pretende cumprir à risca o decreto estadual e, inclusive, os atrativos turísticos já informaram que fecharão as portas novamente, pelos 14 dias previstos na medida estadual.