Brasília – A Câmara dos Deputados aprovou nessa segunda-feira (21), por 258 votos a 136, o texto-base da medida provisória que viabiliza a privatização da Eletrobrás, estatal com foco em geração e transmissão de energia.

No início da noite, os deputados começaram a avaliar os 12 destaques, que são trechos que podem modificar a MP. Mais cedo, o relator da medida provisória na Câmara, Elmar Nascimento (DEM-BA), disse que os deputados retirariam parte das alterações que os senadores incluíram no texto aprovado na última quinta (17). Segundo ele, 95% do que os senadores propuseram seriam mantidos. A Câmara rejeitou as emendas do Senado excluídas por Nascimento por 394 a dois.

As mudanças propostas pelos senadores foram fundamentais para garantir a aprovação do texto na Casa. O governo conseguiu apenas 42 votos, um a mais que o mínimo necessário para que a MP não caducasse, e obteve 37 contrários.

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), defendeu os “jabutis” – trechos estranhos ao teor da proposta original – incluídos na MP.