Por Osires Junior Nadal

Era para ter escrito sobre isto ontem. Mas a eleição do Cebola foi tão impactante que ganhou a preferência.

A questão é sobre o novo mapa que se desenha no futebol com a reta final da Champions e a consagração dos alemães. E não estou falando dos times em si, mas de seus treinadores.

Dos quatro times que chegaram às semifinais, três são treinados por técnicos alemães – Hansi Flick (Bayern), Thomas Tuchel (PSG) e Jules Nagelsmann (RB Leipzig). O outro é o francês Rudi Garcia (Lyon), deixando de fora os tradicionais ingleses, italianos e espanhóis.

Analisando os últimos anos, podemos dizer que essa força escolar começou com Jürgen Klopp e Joachim Löw. Por sinal, Flick foi auxiliar de Löw na seleção do título de 2014 e até o ano passado era auxiliar no Bayern. Assumiu em novembro e levou o time ao título do Chucrutão e da Copa da Alemanha.

Curiosamente, o mais novo entre os três treinadores é Jules Nagelsmann, que chegou a ser treinador por Thomas Tuchel quando estava iniciando no profissionalismo como jogador, 13 anos atrás. Por isso, um aponta o outro como influenciador.

O que salta aos olhos é que o trabalho feito pelos alemães não se resume apenas ao campo. É um conjunto, que trata a coisa interdisciplinarmente, e os resultados surgem quase que naturalmente sobre os times que focam mais na habilidade individual e apenas no campo.

A diferença é que, mentalmente, os elencos tratam as questões do jogo de forma diferente, e uma suposta adversidade é superada.

Aprendamos com os alemães.

Decisão

Por falar em alemães… hoje tem o Bayern de Munique em campo para decidir a vaga na final da Liga dos Campeões diante do Lyon. Nas bolsas de apostas, o Bayern é o favorito, especialmente após a goleada sobre o Barcelona. O Lyon é apontado como zebra, mas o técnico Rudi Garcia garante que o time está com fome de conquistar algo mais na temporada. O jogo começa às 16h (hora de Brasília), em Lisboa.

Embarque

Mais um jovem valor está indo embora. O volante Carlos Dias, uma das revelações da base do Paraná Clube, está se transferindo para o futebol do Chipre. O time será o Apoel. Aos 20 anos, o jogador parte com o sonho do futebol europeu, enquanto os dirigentes sonham com o ajuste de contas do clube. Em tempo: o Chipre sempre foi um receptor de jovens promessas do futebol brasileiro.

Prata

A Federação Paranaense de Futebol de Salão deverá oficializar, hoje, a abertura da Série Prata. De acordo com a tabela publicada no site da entidade, cinco jogos estão previstos para este sábado (22), mas as liberações de saúde nas cidades podem impedir a realização de, pelo menos, um deles. Os jogos previstos são: Coronel Vivida x Bituruna, Pitanga x Pinhão, Apaf/Paranaguá x Operário Laranjeiras, São Miguel x Guarapuava e Mariópolis x Seleto/Maringá.

Série D

Baseado nas disputas dos estaduais, o Grupo 7 da primeira fase da Série D terá dois times semifinalistas – FC Cascavel e Mirassol -, quatro eliminados na fase classificatória – Toledo, Bangu, Portuguesa e Ferroviária -, um rebaixado – Cabofriense, que não cai em virtude da pandemia -; e um que ainda não jogou este ano, o Nacional de Rolândia.