Fé, tradição e gastronomia. Quando estes ingredientes se juntam resultam no maior churrasco a céu aberto do Brasil onde os organizadores almejam, muito em breve, chegar ao Guines Book.

Foi em clima de harmonia e comemoração pelo Dia do Trabalho que foi realizada ontem (1º) mais uma edição, a 52ª, da Festa do Trabalhador do Seminário São José com 16,5 toneladas de carne. Foram 515 costelões, todos vendidos antecipadamente ao custo de R$ 400, sendo que cada um deles alimentou de 30 a 40 pessoas. Isso equivale dizer que pelo menos 20 mil pessoas passaram ontem pelo seminário.

Tudo isso porque, o dia quente e com sol escaldante, com temperaturas que bateram facilmente a casa dos 30ºC, marcaram um cenário costumeiramente diferente para o evento. Geralmente a festa é marcada por dias de temperaturas mais amenas já que se está no auge do outono. Isso possibilitou que a criançada brincasse com roupas leves e os pais se divertissem sem se preocupar com os casacos. Quem sofreu mais foram os churrasqueiros, que estavam desde às 5h em volta dos costelões ao fogo de chão e das churrasqueiras onde estavam 2,5 mil espetos assando para alimentar um verdadeiro batalhão. Tudo isso só foi possível graças ao envolvimento de 1,2 mil voluntários.

Como já é tradição, os costelões foram servidos para grupos de amigos e colaboradores de empresas que se reuniram para a tradicional comemoração de 1º de Maio, ou no almoço servido no salão social que custou R$ 40 por pessoa.

A programação começou cedinho com a celebração da missa, exposição de carros antigos no bosque do seminário, ao lado de onde o almoço foi servido.

Um balanço do evento será divulgado nos próximos dias. A renda é revertida para a manutenção do próprio seminário e para as ações vocacionais.