A calvície sempre foi motivo de preocupação entre homens. Cerca de 42 milhões de brasileiros são acometidos pelo problema. Apesar de o mal atingir mais a população de meia idade, muitos jovens apresentam indícios de calvície e tomam medidas para retardar seu surgimento.

No entanto, tais providências somente desaceleram ou impedem a progressão da queda capilar. Quando a calvície já se estabeleceu, apenas o transplante capilar irá recuperar as áreas carecas.

O especialista em transplante capilar Thiago Bianco esclarece alguns mitos e verdades que envolvem a calvície prematura. Thiago é considerado um dos pioneiros a realizar a técnica de implante microfolicular guiado por vídeo.

 

Usar boné ou chapéu em excesso causa queda de cabelo?

Parcialmente verdade. O uso diário do boné pode sim acelerar o processo de queda de cabelo por conta da umidade que o acessório causa na cabeça, podendo ocasionar processos inflamatórios no couro cabeludo. Mas, se o jovem já tiver predisposição para ter esse problema (fator genético), o uso ou não de algo na região da cabeça em nada irá afetar.

Uso de chapinha e secador na adolescência favorece a queda dos fios?

Parcialmente verdade. A utilização diária desses dois aparelhos danificam os fios ocasionando a queda. Mas, nem sempre irá resultar em uma calvície permanente. Caso a jovem tenha fatores genéticos ou fios ralos e enfraquecidos, o problema poderá aparecer. De qualquer forma, deve-se evitar o uso dos dois equipamentos.

Ter uma dieta rica em proteína desde cedo irá retardar a queda de cabelo?

Mito. Por mais que o cabelo seja proteico, o fato de ingerir o nutriente não influenciará no transtorno, apenas irá deixar um aspecto mais saudável aos fios.

Jovens não podem se submeter a transplantes capilares?

Mito. Com as novas técnicas como a FUE (Folicular Unit Extraction), método que usa unidades foliculares por meio de micro lâminas circulares, e a FUT (Follicular Unit Transplantation), técnica mais tradicional que promove a retirada de uma faixa de cabelo do couro cabeludo, qualquer pessoa, independente da idade ou do sexo, pode se submeter ao transplante, porém o paciente tem que ter uma boa indicação cirúrgica, e em pacientes mais jovens, é preferível iniciar um tratamento clínico para estabilização do quadro de calvície, para posterior procedimento de transplante capilar.

Traumas podem influenciar na calvície?

Verdade. Situações de estresse podem desencadear queda de cabelo. O mal pode provocar um início de alopecia androgênica, calvície causada por fatores genéticos.

Abusar da química no cabelo, como tinturas e alisamentos, ajuda na calvície precoce?

Verdade. O uso excessivo de qualquer tipo de química causa danos aos fios, como a destruição do fio, quebra e enfraquecimento e, todos estes problemas juntos podem causar a queda de cabelo excessiva que se não cuidada, pode causar a calvície.

 

Na raiz do problema: como prevenir e tratar a queda de cabelo

Sim, cabelo cai! É normal perder cerca de 100 a 150 fios por dia. Mas quando eles começam a aparecer por toda parte – pela casa, nas roupas e no travesseiro, por exemplo – é preciso ficar alerta. "A troca de fios é comum. Mas se o cabelo começa a ficar ralo, a pessoa nota que ele cai muito durante o banho ou que muitos fios saem a cada escovada, o ideal é procurar um dermatologista para investigar as causas e tratar adequadamente o problema", explica a dermatologista Karla Assed.

Oleosidade, caspa, excesso de procedimentos químicos, falta de cuidados, estresse e fatores genéticos estão dentre os motivos que podem estar por trás da queda excessiva dos fios. "A alimentação e alguns hábitos, como dormir com o cabelo molhado, também deixam os fios mais fragilizados e propensos à queda", revela Karla.

A perda de fios ainda pode servir de alerta para outros problemas de saúde, como anemia, carência de vitaminas ou alterações hormonais.

Aliando medicamentos, aplicações de laser e tratamentos estéticos, a dermatologista criou, há 16 anos, uma técnica exclusiva de terapia capilar que visa frear a queda, além de fortalecer e estimular o crescimento dos fios. "O tratamento varia de acordo com as causas da queda. Após o diagnóstico, indicamos quais os melhores procedimentos para cada paciente e, em quatro meses, já é possível notar os resultados", afirma Karla.

Já a terapia capilar estética – desenvolvida para quem faz muita química ou sofre com o frizz, por exemplo – reestrutura os fios, sela a fibra e previne o envelhecimento capilar, devolvendo a força e a maciez aos cabelos.

Confira alguns tratamentos disponíveis:

Terapia Detox Iluminada KA – à base de óleo essencial de melaleuca, gengibre e esfoliante, indicada para o fortalecimento e para o crescimento de novos fios. “Esse tratamento proporciona uma limpeza profunda e eficaz no couro cabeludo. É ideal para queda de cabelo, rarefação, falhas, seborreia e psoríase”, indica a dermatologista Karla Assed.

Terapia Bordado KA – remove minuciosamente as pontas duplas, secas e danificadas. E tudo isso sem mexer no comprimento, no corte e no volume. “Indico que minhas pacientes façam a cada quatro meses, em casos de tintura, luzes, descoloração e alisamentos. E a cada dois meses para quem tem cabelos finos, já que ele proporciona mais corpo e comprimento aos fios”, ressalta a especialista.

Quartzo terapia capilar – combina óleos essenciais a um processo de sucção e luz de quartzo. “É muito eficiente no aumento de irrigação sanguínea do bulbo capilar, como também na limpeza e no auxílio para tratar queda de cabelo avançada e severa”, explica Karla. Além disso, a especialista garante o nascimento de fios novos, assim como fortalecimento e crescimento dos já existentes. Entre os óleos essenciais usados estão o de limão – que purifica e melhora a oleosidade, manjerona – combate a quebra dos fios finos e fragilizados, e lavanda – que ajuda a equilibrar o couro cabeludo e no tratamento da caspa seca. “Também acalma e nutre o couro cabeludo, proporcionando alívio de condições inflamatórias da região”, acrescenta.

Bulge – o aparelho possui lentes de aumento de até 700 vezes. A tecnologia usada é o LED vermelho, amarelo e azul, laser de baixa potência, oxigenioterapia, spray de limpeza e pulverização de medicamentos tópicos, microcorrente, eletroestimulação, drug delivery digital indolor de precisão e radiofrequência microagulhada. Tudo o que há de mais moderno na terapia capilar.

Fonte:

www.karlaassed.com.br

www.facebook.com/karlaassedcuritiba

@clinicakarlaassedcuritiba