A maior usina de geração de energia solar fotovoltaica para o agronegócio do Paraná, instalada no recinto do Show Rural, completa seu primeiro ano de funcionamento com números que superam as expectativas iniciais.

Inaugurado em fevereiro do ano passado, o sistema operou durante os meses seguintes gerando energia para consumo da cooperativa e destinando excedente à rede da Copel.

Ao todo, 468 placas fotovoltaicas dispostas no telhado de pavilhões compõem a usina solar instalada no recinto do Show Rural.

De acordo com os registros eletrônicos dos oito inversores, em um ano foram gerados 224.204,36kWh, equivalentes à média de 18.683,7 kWh/mês. “É um volume levemente superior à geração prevista no projeto. Essa produção equivale ao consumo de 50 residências de padrão médio e representa, em média, 85% da energia consumida mensalmente pelo Parque Tecnológico”, explica o engenheiro Vitor Hugo Cordeiro Teixeira, diretor de engenharia da empresa que fez o planejamento e instalação da usina.

A empresa já instalou centenas de pequenos, médios e grandes sistemas de geração. Sua maior obra está em fase final de construção e, quando em operação, será, de longe, a maior de todas as solares do Paraná. A usina, de propriedade de uma empresa de Realeza, é composta por 1.896 placas fotovoltaicas de dois metros quadrados cada uma e terá capacidade para geração de 644.64 kWp, suficiente para atender à necessidade de consumo de 300 residências de padrão médio.

Comprovação na prática

Segundo o diretor-executivo do Show Rural, Acir Inácio Palaoro, o desempenho da usina superou o volume previsto no projeto da empresa fornecedora: “É um testemunho de idoneidade e eficiência dos equipamentos utilizados”.

Anderson Oliveira, de Salto de Lontra, reforça a lista de centenas de agropecuaristas empreendedores do setor de geração de energia. Ele encomendou à empresa um sistema que, com 64 placas, entrega 3.000 kW/h, suficientes para atender praticamente toda a demanda de sua casa e do aviário de 30 mil aves. “Está funcionando há três meses, mas já deu para conferir e aprovar. Gastava R$ 1.200 por mês. Agora, em um mês, paguei R$ 22 e no outro, R$ 9,99. Serviço perfeito!”

Dirceu Paulino Leão, diretor de uma retífica de Cascavel, é outro que já contabiliza sensível economia. O sistema instalado tem 132 placas fotovoltaicas que reduziram drasticamente o custo de seu encontro mensal com a Copel. Sua última fatura caiu da média mensal de R$ 5.500 para exatos R$ 397. O próximo passo agora é aproveitar a água da chuva”.

Detalhes e financiamento

No estande montado pela empresa no Show Rural, engenheiros civis, eletricistas e de segurança estão à disposição dos visitantes para prestar todas as informações técnicas, financeiras e de engenharia. Também estarão disponíveis para encaminhar e formalizar o financiamento com agentes financeiros selecionados, que operam com juros e condições subsidiadas. O histórico de geração pode ser visualizado em oito inversores no interior dos pavilhões.