POLICIAL

Um chamariz pra velocidade

12 de dezembro de 2017 às 11:25
Publicidade

A pista nova, reta e com a chamada “onda verde” na Avenida Brasil tem sido um chamariz a mais para os condutores que gostam de abusar da velocidade. Não raras as vezes em que acidentes, justamente por “pisar mais fundo” acontecem em Cascavel.

Na madrugada de sábado, a reportagem do Hoje News flagrou motoristas fazendo racha na Avenida, entre as ruas Dom Pedro II e Treze de Maio. São jovens, com carros potentes, que acabam se arriscando e pior, arriscando a vida de outras pessoas.

E, mesmo muitos não gostando (principalmente quem já recebeu uma multa em casa), os radares que estão instalados em 25 pontos da cidade têm contribuído para a queda nas notificações.

De acordo com o presidente da Cettrans (Companhia de Engenharia de Transporte e Trânsito), Alsir Pelissaro, nos últimos dois meses a redução foi significativa. “Em outubro a queda foi de 38% no comparativo com o mesmo período do ano passado e em novembro a queda foi de 39,86%”.

Questionado sobre o que tem motivado essa redução, Pelissaro cita dois fatores: “Por um lado as pessoas acabam acostumando com o radar. “Ao perceber o dispositivo o motorista tende a diminuir a velocidade e ainda tem a questão educativa. Se o condutor passar em excesso de velocidade e for multado ele tende a não cometer o mesmo erro”.

Equipamentos

Conforme Pelissaro, em toda Avenida Brasil existem quatro pontos com radar. “Temos no Pacaembu e no São Cristóvão. Nos próximos dias devemos instalar outro na região da Igreja Santo Antônio e na Rua das Pombas, na entrada do Conjunto Riviera”.

Segundo ele, a cada quatro meses é feito um rodízio dos equipamentos, onde as estatísticas apontam que não há mais riscos. “È feito um estudo com o setor de engenharia, avaliado os prós e contras, e só então as equipes fazem a recolocação dos radares em outros pontos”.

Em relação a aquisição de novos equipamentos, Pelissaro ressaltou que, por enquanto, não há previsão. “O contrato dos radares se encerra em 21 de dezembro do próximo ano e acreditamos que em março ou abril já vamos formar uma comissão para estudar a necessidade de novos radares e fazer os trâmites legais para uma nova licitação”.

 

Participe do nosso grupo no WhatsApp

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE