Toledo – A equipe do Combate de Endemias realizou nos dias 5 e 6 de novembro o último LirAa (Levantamento Rápido do Índice de Infestação pelo Aedes aegypti) do ano. É o sexto realizado em 2018. Segundo a classificação do Ministério da Saúde, o índice geral do Município atingiu o “médio risco”, com 1,5% de infestação.

Em janeiro o índice ficou em 3,2%; em março 3%; já o terceiro levantamento realizado em maio atingiu 1,2%; depois caiu para 0,4% e em setembro atingiu 0,1%. Por essa razão, o índice de 1,5% agora preocupa.

“É um pouco preocupante, pois logo começam as férias e estamos com um clima bastante chuvoso. Com a chegada do calor, as larvas eclodem com maior rapidez. Como percebemos que as pessoas deixaram um pouco de lado os cuidados, isso se refletiu no aumento do índice de infestação. O Ministério da Saúde preconiza que seja abaixo de 1%. Apesar de o índice geral não ter ficado tão alto, em várias regiões da cidade encontramos larvas do mosquito e isso resultou em índices de até 8,3%”, informa o coordenador de Combate às Endemias, Selídio José Schmitt.

Toledo tem registrados três casos de dengue importados e dois autóctones.