Cascavel – As obras do novo Trevo Cataratas de Cascavel terminam este ano com 53% executada e a expectativa é de que todo complexo seja entregue antes do tempo estipulado para estar liberado. A data inicial prevista é outubro de 2022, mas já existe uma previsão de ser antecipada para agosto do próximo ano. As obras iniciaram em outubro do ano passado.

O tempo aberto, sem chuvas, também contribuiu para o andamento acelerado da obra, que desta forma segue sem interrupção. “As obras do Trevo Cataratas seguem avançando e mesmo com os feriados deste fim de ano nossas equipes permaneceram trabalhando”, disse Hellem Prim, gerente de engenharia da Ecocataratas.

De acordo com a assessoria de imprensa da Concessionária Ecocataratas, as obras chegaram ao terceiro estágio, no qual estão sendo executados os viadutos. Já foram executadas a parte de drenagem e estão sendo realizadas as fundações para suportar as duas trincheiras, sendo que as estacas estão aproximadamente 28 metros abaixo do solo.

Uma base operacional foi instalada bem no meio da obra, que conta com apoio da PRF (Polícia Rodoviária Federal) e, além disso, foram disponibilizados veículos exclusivos para atendimento ao desvio de tráfego 24h por dia, todos os dias da semana.

 

A obra

Diariamente passam pelo o local cerca de 45 mil veículos, sendo que durante os horários de pico chega a atingir uma média de 3,5 mil veículos por hora. O projeto foi elaborado de forma a impactar o mínimo possível as áreas próximas ao trevo, buscando preservar as edificações existentes e está a construção está planejada em três etapas, de forma que o tráfego também sofra o mínimo impacto possível.

Conforme a assessoria da Ecocataratas, as obras tem tido bom andamento com adequação das vias marginais para que funcionem como desvios durante o período da obra, num total de 4 quilômetros e que foram liberados para o tráfego no começo de agosto deste ano. Os serviços de drenagem terão capacidade de vazão de 8,1 mil litros de água por segundo, já que foram instalados dois tubos com 1,2 metros cada. Outro importante dispositivo, foi a colocação de caixa de contenção de produtos perigosos com capacidade para 280 mil litros. Além do pavimento, as obras contemplam dois viadutos, uma passarela com rampas e escada.

Para se ter uma ideia dos números da obra, na estrutura vai exigir sete mil metros cúbicos de concreto e 850 toneladas de aço. Também será colocada uma barreira de proteção de concreto com 2,6 mil metros.

 

Olindo Periolo

Dentro das obras em execução pela Ecocataratas, está incluída a execução das alças de acesso ao viaduto Olindo Periolo, localizado no km 585 da BR-277, que liga os bairros Pacaembu e Veneza. Os trabalhos de terraplenagem e drenagem iniciaram em junho deste ano e no total serão nove quilômetros de alças, ramos e vias, 70 mil m² de pavimentação, dois quilômetros de drenagem de bueiros, 230 unidades de postes de iluminação, 1.690 metros de calçadas e 1.212 metros de ciclovia.

A assessoria lembrou que desde o começo deste mês de dezembro foi implantado um desvio de tráfego para a execução de uma rotatória. A previsão é para que a conclusão da obra e a liberação do tráfego na rotatória ocorra no fim de janeiro de 2022. Durante este período, o trânsito exige ainda maior atenção dos condutores.

O motorista que transita pela Rua Áustria sentido bairro Veneza irá acessar o desvio para a Rua Guilherme Ludwing Cerioli que neste período de obras, passará a ser mão dupla na quadra próxima ao viaduto. Quando a obra alcançar 80% de execução (meados de janeiro), a intervenção acontecerá no sentido contrário, onde o motorista que segue sentido bairro Pacaembu sairá da Rua Guilherme Ludwing Cerioli e acessará o desvio para a Rua Áustria.

 

 

++++

Prensados para reciclagem

Os veículos que estavam no Pátio da 7ª Ciretran de Cascavel foram prensados no começo desta semana. De acordo com a assessoria de imprensa do órgão, eles foram vendidos em leilão, totalizando 4.070 veículos de Cascavel, Foz do Iguaçu e de Francisco Beltrão que serão utilizados para reciclagem por uma empresa que venceu a licitação. No total, foram 1,5 mil toneladas de material, já que eles não podem ser registrados ou licenciados, sendo proibida a circulação e a comercialização de peças ou partes metálicas, destinando-se exclusivamente para a reciclagem.

Foto: Assessoria/Detran