Tite_André Luiz Mello).jpgTite vivei na noite de sexta-feira a emoção de conduzir a tocha olímpica na cidade onde nasceu, Caxias do Sul. O técnico da seleção brasileira principal comentou como será a sua participação na campanha da equipe olímpica, dirigida por Rogério Micale, nos Jogos do Rio. Ele descartou a ideia de se tornar um “mentor” do treinador menos famoso.

– Eu me coloquei à disposição para ser um consultor, não mentor, do Rogério. Ele tem o feeling, tem a percepção e, naquilo que for interessante, como já o fizemos, trocamos essa ideia. Vou ficar muito a mercê dele. Ele vai tomar a iniciativa, eu vou acompanhar os treinamentos, os jogos para estar ali. Precisou? Vem e me consulta – afirmou.

Seleção olímpica de futebol

Segundo Tite, a equipe que tentará a medalha de ouro inédita para o Brasil no futebol está nas melhores mãos que poderia:

– Não tivemos uma medalha de ouro no futebol, vamos em busca dela agora. Para o Brasil, as possiblidades de conquista da medalha de ouro são maiores com o Rogério Micale. Eu vou estar torcendo.

Sobre a seleção principal, o técnico contou que na semana que vem começará a definir os nomes que faltam na comissão técnica: desde os auxiliares técnicos ao treinador de goleiros e aos departamentos médico e físico. Tite destacou que é preciso, para o sucesso do trabalho, esquecer as frustrações do passado.

– O primeiro aspecto é que a seleção, nessa nova etapa, não tem que resgatar nada do passado. O que nós temos que fazer agora é jogar bem, vencer jogos e se classificar para a Copa do Mundo.

A emoção de carregar a tocha ele definiu assim:

– Não é o técnico da seleção brasileira que está aqui. É o garoto que vinha de São Brás da Colônia, que vinha para os pavilhões da Festa da Uva para pegar chaveirinhos, panfletos, que procurou estudar, se aprimorar, que um dia foi atleta profissional, que teve que encerrar sua carreira, que virou professor de Educação Física e aflorou técnico, e teve uma carreira toda que vocês conhecem, com todos os títulos que um técnico poderia almejar. Eu agradeço a papai do céu, porque sou privilegiado. Muito mais agora, num momento extremamente importante na minha cidade, na minha terra. A chama olímpica extremamente valorizada onde eu nasci.