Terra Roxa – Um surto de escabiose, mais conhecida como sarna humana, acomete Terra Roxa. No município de pouco mais de 16 mil habitantes até o momento já foram identificados 139 casos da doença, que causa manchas vermelhas na pele e coceira intensa.

Os primeiros casos foram registrados em crianças na semana passada. O surto teve início no Cmei (Centro Municipal de Educação Infantil) Girassol. Logo depois a Vigilância Sanitária constatou registros da doença nos Cmeis Primeiros Passos e Hugo Dherê e nas escolas municipais Rainha dos Apóstolos, Presidente Kennedy e Maxmirian Bárbara Gaspar da Silva.

Após os registros, a Vigilância Sanitária realizou um levantamento para a identificação de outros possíveis casos. Todos os estabelecimentos de ensino foram dedetizados para evitar o contágio do outros alunos.

Durante o fim de semana a prefeitura ofereceu atendimento médico em horário especial e entregou kits de tratamento das pessoas diagnosticadas com a doença. A Vigilância Sanitária também entregou kits de higienização para as famílias em situação de risco de infecção.

Ações de orientação e prevenção da doença foram realizadas com diretores das instituições de ensino e com empresários. A ideia é alertar sobre o surto e orientar sobre os procedimentos em casos de infecção.

Sem registros

De acordo com a prefeitura, essa é a primeira vez que casos da doença são registrados no Município. A Secretaria de Estado da Saúde também afirma não ter registros no Paraná. A Secretaria de Saúde de Terra Roxa ainda não sabe o que causou o surto, mas acredita que possa ter sido iniciado por falta de higiene pessoal e se espalhado por ser de fácil contágio. Com a entrega dos medicamentos, a prefeitura acredita que o surto deva ser controlado, por isso ainda não emitiu alerta.

A orientação para as famílias que registrarem suspeita da doença é que procurem imediatamente atendimento médico para tratamento.

Tratamento

A sarna não oferece risco de morte, mas é indispensável tratar os infectados, assim como seus objetos de uso pessoal. Os kits de medicamentos são entregues de forma gratuita pela prefeitura. Pessoas que vivem na mesma casa e têm contato próximo com pessoa infectada devem ser tratadas mesmo que não apresentem sintomas da doença. É preciso também ter cuidado espacial com os objetos para que a doença seja erradicada. Roupas, inclusive as íntimas e as usadas para dormir, roupas de cama e tolhas que estiverem em contato com a pele da pessoa infectada nas últimas 48 horas antes do tratamento, devem ser lavadas com água quente. Já os objetos que não podem ser lavados, como brinquedos de pelúcia e travesseiros, devem ser mantidos em sacos plásticos bem fechados durante 14 dias antes de usá-los novamente, isso garante a morte dos ácaros (infectados) que estejam nesses materiais. Carpetes e móveis estofados devem ser limpos cuidadosamente com aspirador de pó.