Publicidade

VARIEDADES

Tendências de moda: peças nostálgicas em destaque

22 de janeiro de 2024 às 16:07
Beautiful country girls dressed in the style of the nineties sit on a tractor.
Publicidade

A estratégia de se utilizar da nostalgia para trazer de volta elementos que já foram populares em outras épocas e contextos históricos é uma forma de repetir sucessos e reciclar padrões. A moda, considerada uma forma de arte cíclica, vem sendo reinventada ao longo de sua história através do comeback de estilos, silhuetas, tecidos, cores e estampas que uma vez já foram utilizadas e que, com o tempo, foram trocadas por novidades.

Atualmente, em todos os setores da sociedade, vive-se um presente tecnológico, em que redes sociais e ambientes digitais ditam as tendências de comportamento, fala e, claro, de moda. A geração Z, formada por pessoas nascidas entre os anos de 1997 e 2010, é conhecida por ser multicultural e estar constantemente online, buscando referências de comportamento em todos os lugares e culturas possíveis.

Como a geração mais recente dentro do mercado de trabalho e a maior presença entre os usuários digitais, a geração Z dita hoje as principais tendências do mundo da moda. Exatamente por não se limitar a culturas e possuir uma mentalidade mais inclusiva e progressista do que seus antecedentes, os indivíduos da geração Z buscam referências em diferentes contextos sociais e históricos para formar um estilo único.

O retorno de elementos característicos da moda de outras décadas nos últimos anos marca bastante este movimento de nostalgia. A volta dos crocs, da cintura baixa, do jeans excessivo, das maquiagens coloridas, das cores suaves chamadas de “cotton candy colours”… Todos esses comebacks definem a moda atual, que vem se consagrando nas redes sociais e nas passarelas nos últimos anos.

Na alta-costura, essa nostalgia é retratada de forma clara pelos desfiles de novas coleções inspiradas e construídas inteiramente a partir de peças de arquivo da história das marcas.  Balmain, Gucci, Chanel e Prada são algumas das casas que homenagearam seus fundadores com o retorno de peças e tendências exclusivas de arquivo.

Em 2015, antes mesmo de a nostalgia se tornar febre entre os consumidores jovens, Alessandro Michelle, na época diretor criativo da Gucci, lançou uma coleção que unia os anos 70 e 80 e consagrava o estilo chamado “nerd vintage” – carregado de grandes camisas, calças jeans flare, meias altas e cores chamativas –, estilo este que se tornaria tendência popular no ano seguinte com o sucesso da série “Stranger Things”, da Netflix.

A partir de então, com o lançamento de outras temporadas de sucesso, até mesmo os atores passaram a ser representados por marcas de alta-costura que apostaram na popularidade da nostalgia. Prova de que as tendências circulam pelos mais diferentes nichos e quebram barreiras a partir do momento em que possuem forte presença digital.

Um exemplo disso, também, é a volta da tendência dos típicos conjuntos de tweed Chanel, que tiveram seu boom na década de 50 e que, atualmente, fizeram parte até mesmo de uma das maiores trends que aconteceram em 2023: o filme Barbie, com Margot Robbie. Grande parte do figurino da boneca que foi trazida à vida por Margot foi composta exatamente por arquivos da Chanel, com modelitos curtos e tons de rosa chamativos.

Desde produções cinematográficas a temas de festas de aniversário e desfiles de alta-costura, a moda reinventada e nostálgica vem conquistando diferentes setores da sociedade e traz consigo um sentimento de pertencimento e conexão entre novas e antigas gerações.

Crédito: Divulgação/Foto: iStock

Participe do nosso grupo no WhatsApp

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE