Cascavel – A chuva tão esperada pelos paranaenses após longo período de estiagem deve continuar sendo registrada em todo o Paraná pelo menos até a próxima quinta-feira (20), e colaborar para a formação e o registro de fenômenos incomuns no Estado, como neve e chuva congelada.

O alerta emitido pelo Clima Tempo e pelo MetSul Meteorologia é para uma massa de ar polar enorme e muito intensa que vai atingir praticamente a metade do território brasileiro e grande parte da América do Sul nesta semana, com potencial de ser um evento histórico de frio e neve.

A possibilidade de registro de neve mais concreta é para a região sul do Paraná, abrangendo as cidades de Guarapuava e Palmas, mas o fenômeno em Curitiba não está descartado.

Como se formam?

O Simepar (Sistema Meteorológico do Paraná) é mais cauteloso na previsão dos fenômenos. A meteorologista Ana Beatriz Porto afirma que o alerta existe, mas que a previsibilidade real só é possível em período mais curto. “O alerta existe e está mantido com base nas condições climáticas que se desenham favoráveis para essa formação. A chuva deve continuar presente no Estado até quinta-feira (20), quando a massa de ar frio vai chegar por aqui. Geralmente essas massas que trazem o frio são de ar seco, então causam as geadas, mas essa massa, encontrando a instabilidade causada pela chuva, pode formar esses fenômenos”, explica Ana Beatriz.

E o oeste?

A meteorologista informa que os modelos climáticos mostram um resfriamento muito forte já na quinta e com continuação da chuva, por isso o alerta, mas que a intensidade e a dimensão deles só será possível avaliar com mais precisão a partir de quarta-feira (21).

No oeste, a chance de neve é baixa, mas não remota. “De qualquer forma, podemos nos preparar para temperaturas muito baixas… na região oeste, a possibilidade de neve é remota, mas a chuva congelada é uma possibilidade… Fato é que a onda de frio será intensa”.

Os institutos trazem mínimas baixíssimas para o fim de semana, a partir de sexta-feira, entre 0ºC e 1ºC, com possibilidade de chegar a -2ºC em Cascavel no sábado, com máximas que não passam a casa dos 10ºC.

Granizo e vendaval afetam 4.804 pessoas

A Chuva voltou ao Paraná após mais de um mês de secura, mas em algumas cidades os temporais foram intensos, com vento e chuva de granizo que danificaram residências e afetaram 4.804 pessoas, como mostra o Boletim de Ocorrências da Coordenadoria Estadual da Defesa Civil.

Dez municípios foram atingidos pelos temporais e foram danificadas 924 residências e uma destruída; até ontem à tarde, 212 das 452 pessoas que ficaram desalojadas permaneciam nessa situação. As tempestades foram mais intensas em Araruna, Cruzeiro do Sul, Cruzeiro do Oeste, Guarapuava, Matelândia, Nova Prata do Iguaçu, Rio Branco do Sul, Santa Tereza do Oeste, Tupãssi e União da Vitória.

A pior ocorrência foi em Santa Tereza do Oeste, atingida por uma chuva de granizo que danificou 600 casas e afetou 2.650 pessoas, sendo que 50 ficaram desalojadas. Em Nova Prata do Iguaçu, 200 residências foram danificadas, afetando 1.200 pessoas, das quais 400 ficaram desalojadas e 160 continuam sem poder voltar para casa.