O centésimo ouro do Brasil nas Paralimpíadas de Tóquio não veio por um centésimo. De fato. Mas, em um dia dourado no atletismo, o país deixou a marca histórica encaminhada. Nesta segunda-feira, Claudiney Batista e Beth Gomes, ambos no lançamento de disco, conquistaram o primeiro lugar nos Jogos. Vinícius Rodrigues, nos 100m T63, por pouco não se juntou à dupla, mas foi superado no limite.

A natação, por outro lado, passou em branco pela primeira vez nos Jogos, no dia que marcou a penúltima queda de Daniel Dias na piscina em uma Paralimpíada. A jornada do Brasil em Tóquio ainda contou com uma prata de Bruna Alexandre no tênis de mesa e vitórias no goalball e no futebol de 5.

No total, foram dois ouros e três pratas no dia. Com as conquistas, o Brasil voltou à sexta colocação no quadro de medalhas. Confira tudo o que aconteceu nesta segunda-feira.

🥇🏃 Dia dourado no atletismo🏃🥇

O dia começou com Claudiney Batista confirmando seu favoritismo ao título. Campeão no lançamento de disco F56 na Rio 2016, o mineiro de Bocauíva ainda detinha o recorde mundial – 46,68m – da prova. Em Tóquio, o atleta de 42 anos levou o ouro com facilidade ao lançar o disco a 45,59m, novo recorde paralímpico. A medalha de Claudiney foi a primeira do dia para o Brasil, ainda na sessão da manhã no Japão.

Beth Gomes quebra recorde mundial duas vezes e conquista medalha de ouro no lançamento de disco F53 – Paralimpíadas de Tóquio

Mais tarde, Beth Gomes também brilhou. E com direito a recorde mundial. Com 15,68m logo em sua primeira tentativa, confirmou as expectativas e conquistou o ouro no lançamento de disco nesta segunda-feira nas Paralimpíadas de Tóquio. Mas ainda havia espaço para mais. Na sequência, Beth quebrou o recorde mundial duas vezes, estabelecendo a nova melhor marca em 17,62m.

O país ainda conquistou duas medalhas de prata na modalidade. Vinícius Rodrigues foi superado por um centésimo na final dos 100m T63 e ficou em segundo lugar. No arremesso de peso classe F11, para deficientes visuais, Alessandro Rodrigo fez sua melhor marca da temporada e garantiu o pódio.

O dia também teve uma nota triste. Júlio César Agripino levou a pior nas eliminatórias dos 1.500m T11 masculino, classe do atletismo para competidores com grau máximo de deficiência visual. Auxiliado pelo guia Lutimar Paes, Júlio César brigava pelas primeiras colocações quando chocou-se com o queniano David Korir, que guiava o compatriota Erick Kiptoo Sang. O brasileiro caiu no chão e ainda tentou retornar à prova, mas acabou desqualificado.

Julio Cesar Agripino se choca com Erick Kiptoo Sang — Foto: Tasos Katopodis/Getty Images

Julio Cesar Agripino se choca com Erick Kiptoo Sang — Foto: Tasos Katopodis/Getty Images

🥈🏓 Prata no tênis de mesa 🏓🥈

Bruna Alexandre conquistou a medalha de prata no tênis de mesa, classe T10 (para atletas andantes). Na final, ela foi superada por Qian Yang, chinesa naturalizada australiana neste último ciclo paralímpico. Vitória de Yang por 3 sets a 1, parciais 13/11, 6/11, 11/7 e 11/9.

 

🏊Dia sem pódio na natação🏊

Na penúltima queda n’água profissional em sua carreira, Daniel Dias se esforçou, mas não chegou a brigar por medalha nos 50m costas da classe S5 (para atletas com deficiências físicas). O brasileiro, detentor de 27 medalhas paralímpicas, terminou no quinto lugar no Centro Aquático de Tóquio, com a marca de 35s99. Também sem medalhas nas outras participações do dia, o Brasil saiu sem pódio pela primeira vez nos Jogos de Tóquio.

Daniel Dias antes da final dos 50m costas S5 — Foto: Lintao Zhang/Getty Images

Daniel Dias antes da final dos 50m costas S5 — Foto: Lintao Zhang/Getty Images

⚽Vitória e vaga no futebol de 5⚽

 

A seleção brasileira de futebol de 5 deu um importante passo rumo ao pentacampeonato paralímpico. O time masculino, que nunca perdeu uma partida em Paralimpíadas, se classificou às semifinais do torneio na Tóquio 2020 com uma vitória de goleada sobre o Japão por 4 a 0 na madrugada desta segunda-feira.

Com o resultado, o Brasil lidera o Grupo A com seis pontos – venceu a China por 3 a 0 na estreia. Japão e China estão empatados em segundo lugar com três pontos cada, e como os dois times asiáticos se enfrentam na última rodada, só um pode igualar a pontuação dos brasileiros. A França, com duas derrotas, está eliminada e enfrenta os tetracampeões paralímpicos na noite desta segunda, às 23h30 (horário de Brasília).

Brasil vence Japão e se garante nas semifinais do futebol de 5 em Tóquio — Foto: Takuma Matsushita/ CPB

Brasil vence Japão e se garante nas semifinais do futebol de 5 em Tóquio — Foto: Takuma Matsushita/ CPB

🥅🔵Goleada no goalball🥅🔵

 

Medalhista de bronze no Campeonato Mundial de 2018, a seleção feminina de goalball do Brasil está nas quartas de final nas Paralimpíadas de Tóquio. Na noite deste domingo, as brasileiras golearam o Egito, atual campeão africano, por 11 a 1 para assegurar a quarta posição no Grupo D e a classificação à próxima fase. A seleção vai encarar a China, que terminou na liderança da outra chave.

São dois grupos de cinco nas Paralimpíadas, com as quatro primeiras colocadas avançando às quartas. O Brasil terminou a primeira fase com quatro pontos, conquistados na vitória sobre o Egito e no empate com o Japão – nos outros dois jogos, derrotas para os EUA e para a atual campeã paralímpica, Turquia.

🏇 Riskalla é quinto no adestramento 🏇

 

Rodolpho Riskalla fechou sua apresentação no hipismo adestramento estilo livre em quinto lugar. O cavaleiro fez uma boa apresentação, mas não conseguiu voltar ao pódio em Tóquio. Com o cavalo Don Henrico, o brasileiro somou 73.895. O brasileiro, que havia conquistado uma prata inédita na última semana, tinha a chance de levar sua segunda medalha nos Jogos. O ouro ficou com a holandesa Sanne Voets, com 82.085. Louise Jakobsson, da Suécia, com 75.935, e Manon Clayes, da Bélgica, com 75.680, completaram o pódio.

🏐 Derrota no vôlei sentado 🏐

 

A seleção masculina de vôlei sentado não conseguiu repetir o resultado da estreia diante da China e foi superada pelo Irã em jogo válido pela segunda rodada do Grupo B das Paralimpíadas de Tóquio. Os brasileiros, que são donos de três pódios mundiais e buscam a medalha inédita nos Jogos, foram neutralizados pela pela potência do ataque iraniano. Derrota por 3 sets a 0, parciais 25/19, 25/23 e 25/22, em 1h15min de jogo. Com o resultado, o Irã segue invicto no torneio – ainda não perdeu sets na competição.

Gigante iraniano Morteza Mehrzad, rival do Brasil nesta segunda — Foto: Marcus Brandt/picture alliance via Getty Images

Gigante iraniano Morteza Mehrzad, rival do Brasil nesta segunda — Foto: Marcus Brandt/picture alliance via Getty Images

Fonte: Globo Esporte