O relator da CPI da Pandemia, Renan Calheiros (MDB-AL) anunciou que 14 pessoas passam à condição de investigadas e não mais de testemunhas. Entre elas, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e o antecessor dele, Eduardo Pazuello. O relator antecipou que a CPI considera investigar diretamente o presidente da República. Mas o senador Marcos Rogério (DEM-RO), questionou a decisão argumentando que não foi apreciada pela comissão.

Fonte: Agência Senado