Os três vencedores do PER (Programa Empreendedor Rural) 2018 foram revelados no Encontro Estadual de Empreendedores e Líderes Rurais. Promovido pelo Sistema Faep/Senar-PR, em parceria com o Sebrae-PR (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) e a Fetaep (Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores Familiares do Estado do Paraná), o programa incentiva o empreendedorismo rural e oferece suporte ao desenvolvimento de projetos de negócios para as propriedades.

O projeto vencedor tem autoria dos irmãos André e Adriano Facin, de Céu Azul, na região oeste do Paraná. Intitulado “Melhoria nos custos de produção da atividade de frango de corte”, o objetivo é investir na produção avícola da propriedade, melhorando a produtividade e ampliando a renda familiar.

Além da instalação de um novo aviário com capacidade de produção de 120 mil aves por ano, o projeto prevê a utilização de cavacos de madeira para a queima para obtenção de energia de forma sustentável. A ideia é utilizar recursos renováveis, de baixo custo e risco ambiental.

Com a implantação desse projeto, o propósito é manter a família atuando nas atividades rurais da propriedade e aumentar o retorno econômico, garantindo a sucessão familiar nos negócios.

“Não esperava, mas foi uma grata surpresa. Estamos muito felizes, pois foi um trabalho árduo e muito bacana”, ressalta Adriano.

Mais exemplos

A segunda colocação ficou com outra dupla de irmãos, Criz Renê Zanovello e Roni Clei Zanovello, de Guarapuava, na região centro-sul. O projeto “Desenvolvimento de um sistema integrado de produção agropecuária aplicado ao Sítio Zanovello” pretende diversificar as atividades agropecuárias da propriedade e profissionalizar os serviços realizados. Uma das propostas é a introdução de um sistema integrado de produção, fazendo a recuperação das áreas degradadas e otimizando as áreas improdutivas.

Os irmãos Zanovello planejam investir nos pontos fortes da propriedade, melhorando as atividades já desenvolvidas, como soja, milho e pecuária, e implantando novas culturas, como feijão, alho e erva-mate.

“Estamos muito felizes. É o reconhecimento de um ano inteiro de trabalho. Agora é comemorar e continuar trabalhando”, disse Roni.

Batata-doce

O projeto “Produzir batata-doce irrigada – Realizando um sonho em família”, de Aline Almeida Borges, de Rondon, no noroeste, ficou com o terceiro lugar na premiação. O intuito do projeto é estruturar a produção de batata-doce, aumentando a produtividade e melhorando a qualidade por meio de técnicas de irrigação. Uma das grandes vantagens do trabalho é a falta de concorrência na produção de batata-doce na região.

“Esse prêmio fecha com chave de ouro o trabalho desenvolvido no Programa Empreendedor Rural”, afirmou Aline.

Como prêmio, os primeiros colocados farão uma viagem técnica internacional em 2019, com a finalidade de conhecer a realidade produtiva de outros países. Na edição 2018, a banca do PER avaliou 89 projetos.