Foz do Iguaçu – A prefeitura lançou a licitação de 11 espaços comerciais localizados nas Avenidas Brasil, Barão do Rio Branco e Paraná. O processo licitatório será do tipo maior oferta e a abertura das propostas será realizada dia 25 de setembro, a partir das 9h, na Diretoria de Licitações e Contratos.

O valor para a concessão de uso começa a partir de R$ 10 mil. O vencedor deverá pagar 50% do valor proposto na assinatura do contrato. O restante poderá ser parcelado em até 24 parcelas. A concessão de uso será de cinco anos, podendo ser prorrogada pelo mesmo período a critério da prefeitura.

O vencedor terá de pagar uma mensalidade de R$ 768 pelo uso do espaço, de acordo com o edital. O pagamento mensal pode começar a ser feito até 180 dias após o início das atividades. Ainda antes do funcionamento, que deve ocorrer em até 90 dias após o resultado final da licitação, os concessionários deverão apresentar para a prefeitura projetos de reforma, revitalização e comunicação visual.

As atividades permitidas para funcionamento nos 11 quiosques serão: bares e outros estabelecimentos especializados em servir bebidas como lanchonetes, casas de chá, de sucos e similares.

Localização

Serão licitados os quiosques localizados na Avenida Brasil esquina com a Rua Quintino Bocaiúva; Avenida Brasil esquina com a Rua Xavier da Silva; dois na Avenida Brasil esquina com a Rua Bartolomeu de Gusmão; três na Avenida Brasil próximo da esquina com a Rua Quintino Bocaiúva; e Avenida Brasil esquina com a Rua Engenheiro Rebouças. Ainda na área central, o quiosque da Rua Barão do Rio Branco, próximo á esquina da Avenida JK, também será licitado. Os quiosques da Avenida Paraná, próximo ao Shopping JL, e próximo ao Colégio Estadual Barão do Rio Branco, serão concedidos.

O edital com a licitação dos quiosques poderá ser requisitado por e-mail. Mais informações pelo telefone (45) 2105-1367.

Modernização

De acordo com o secretário de Turismo, Indústria, Comércio e Projetos Estratégicos, Gilmar Piolla, a licitação é uma oportunidade de modernização dos espaços e de desenvolvimento da gastronomia e da economia local. “A revitalização vai tornar o comércio da Avenida Brasil mais dinâmico na maior parte do dia e da noite, como ocorre com as avenidas comerciais de cidades turísticas do mundo todo. E com a possibilidade de abertura das lojas francas e posterior revitalização da Rua Rebouças e da terceira pista da Avenida JK, o centro da cidade ficará mais agradável aos moradores e turistas”, afirma.

Ainda segundo ele, falta encontrar uma solução para as feirinhas da cidade. A ideia do secretário é unir as feirinhas da Amizade, Rebouças e Terminal da Vila Portes em um único espaço que passaria a se chamar de “feirinha da cidade”. Acordo nesse sentido já foi assinado entre a prefeitura e o Ministério Público Federal.