Assaltantes, usuários de drogas, vândalos passaram a dominar o Parque Vitória, na Rua Manaus, entre os Bairros Cancelli e Country, em Cascavel. “O parque acabou de completar seis anos. No começo, até víamos guardas passando dentro do parque, mas agora não há mais segurança alguma. Não tem como entrar sozinha, é muito perigoso”, conta a empresária Lucia Mackiediez.

Ela já teve seu salão de beleza assaltado há dois anos em plena luz do dia por marginais que usam o parque para se esconder. E Lucia recorda que uma mulher foi baleada no parque em 2016 em uma tentativa de assalto. “A situação aqui está complicada, precisam dar um jeito”.

Sem acesso seguro ao parque, a comunidade aproveita o lado de fora. Nesta semana, a equipe de reportagem do Jornal HojeNews encontrou umas 30 pessoas sentadas no meio-fio “degustando” um caldo de cana. “Falta muita segurança. O pessoal vem só por causa do caldo de cana que tem na Rua Manaus. Eu mesma não entro no parque. Nunca vi um segurança”, conta a professora Sueli Ribeiro, que estava na frente do parque.

Ontem à tarde a reportagem voltou ao parque e o rodou inteiro. Nenhum guarda foi encontrado.

“Aqui todo o mundo só vem para o caldo de cana mesmo, porque entrar no parque ninguém mais entra. Além de não ter segurança, falta cuidado. O parque está vandalizado”, lamenta o comprador Jardela Santos.

 

Vaziozão

O Parque Vitória foi inaugurado em setembro de 2012, um investimento de R$ 2,8 milhões. Na época, a comunidade comemorou o amplo espaço cheio de verde, pontes e até rio.

Hoje, o cenário é outro. Ontem à tarde, ninguém circulava dentro do parque.

Já os equipamentos denotam o abandono. Academias ao ar livre, campo de futebol sintético, parquinho infantil, tudo sem conservação e com marcas do vandalismo. Isso sem contar o mato alto, que é visto por todo local.

Guarda faz o que pode

O diretor da Guarda Municipal, Avelino José Novakoski, disse que duas equipes da Guarda Patrimonial se revezam na escala de segurança do Parque Vitória e que a própria Guarda Municipal passa nas ruas ao redor do parque.

“Tentamos ao máximo coibir toda e qualquer prática ilícita no parque. Mas lá é uma situação complicada. Há usuários de drogas, há pessoas alcoolizadas, são todos abordados, mas sempre o problema volta a incomodar. A partir das 15h intensificamos a segurança e às 20h fechamos o parque. Estamos fazendo o que podemos”, argumenta.

Novakoski acrescenta que são feitos esquemas de rondas e que a Polícia Ambiental também passa pelos parques de Cascavel.

Já sobre a questão de organização e cuidado do parque, o secretário de Meio Ambiente de Cascavel, Alcione Gomes, disse que a manutenção de equipamentos, as podas e as roçadas são feitas periodicamente no local.