O prazo para a semeadura da soja no Paraná continua sendo até o dia 31 de dezembro. A Adapar (Agência de Defesa Agropecuária do Paraná) havia aberto uma consulta pública, por meio da Portaria 264/2018, para discutir o calendário de plantio da oleaginosa e outras medidas de controle da ferrugem asiática no Estado. O prazo para as contribuições e sugestões se encerrou no último dia 11 de novembro.

Após ouvir diversos entes do setor agrícola do Paraná, como o Sistema Faep/Senar-PR, Ocepar (Organização das Cooperativas do Paraná), sindicatos rurais, representantes da indústria de agroquímicos, além de órgãos de pesquisa, como Iapar (Instituto Agronômico do Paraná) e Embrapa Soja, a Adapar publicou posteriormente uma Nota Técnica onde esclarece que, após consultar o setor envolvido, fica valendo a Portaria 202, de 19 de julho de 2017, que limita o prazo máximo para a semeadura de lavouras de soja até 31 de dezembro de cada ano agrícola.

O período de vazio sanitário vegetal – quando não pode haver planta de soja viva em campo – também continua valendo para 10 de julho a 10 de setembro.

Todas estas medidas têm como objetivo combater a ferrugem asiática, doença de grande poder destrutiva para a cultura da soja causada pelo fungo Phakopsora pachyrhizi.

Prejuízos

Segundo a Adapar, a doença vem gerando prejuízos consideráveis para as economias paranaense e brasileira, gerando respectivamente custos adicionais da ordem de R$ 1,8 bilhão e R$ 11,5 bilhões para essa cadeia produtiva.

De acordo com a Nota Técnica da Adapar, como não foram apresentados fatos novos que justifiquem o cultivo extemporâneo (fora de época) da soja, como, por exemplo, o lançamento de novos cultivares resistentes à ferrugem asiática ou novas moléculas de fungicidas (com forma e ação diferenciada), ficam mantidas as datas limites estabelecidas anteriormente.

Um dos fatos que motivou a decisão da Adapar é a ausência de regras que harmonizem os calendários agrícolas entre os estados limítrofes. Em Santa Catarina, a data limite para semeadura é 10 de fevereiro.

Diálogo aberto

Com objetivo de discutir o posicionamento do setor agrícola do Paraná em relação à consulta pública da Adapar, a Faep realizou uma reunião onde reuniu líderes rurais de todas as regiões produtoras do estado. Na ocasião foram ouvidos representantes de instituições de pesquisa e da indústria, além da Adapar. A maioria dos posicionamentos foi favorável ao diagnóstico da pesquisa, que considera temerário ampliar a janela de semeadura da oleaginosa, com riscos de perdas significativas na produtividade.