RIO ? O pastor Felipe Heiderich, acusado de crime de pedofilia contra o enteado de cinco anos, vai responder o processo em liberdade, monitorado por tornozeleira eletrônica. Além disso, o juiz Paulo Cezar Vieira de Carvalho Filho, titular da 17ª Vara Criminal da Capital, proibiu o acusado de se aproximar de sua mulher, a pastora Bianca Toledo, e da criança. A decisão atende à denúncia oferecida pelo Ministério Público (MPRJ), que solicitou medidas cautelares contra o acusado.

?Havia sido decretada a prisão temporária do acusado, que só vale durante a fase de inquérito. A partir do momento que o Ministério Público ofereceu a denúncia, o inquérito foi encerrado. Ressalto que o MPRJ não pediu a prisão preventiva, mas somente medidas cautelares. Assim, determinei o monitoramento eletrônico e que o réu fique proibido de se aproximar da criança e da mãe?, explicou o magistrado.

O acusado cumpriu a prisão temporária durante a fase de inquérito na Cadeia Pública José Frederico Marques (Bangu 10), no Complexo Penitenciário de Gericinó, na Zona Oeste do Rio.