Embalado

O Palmeiras assistiu de camarote ao jogo de ontem entre Corinthians e Vitória, que decidiu uma vaga nas quartas de final. Isso porque o Verdão havia atuado na noite anterior pela competição, na vitória sobre o América-MG no jogo de ida das oitavas. A vitória em Minas Gerais, aliás, marcou um feito inédito para o time alviverde: nunca antes o Palmeiras havia vencido três jogos seguidos como visitante por competições diferentes. A atual série conta com o triunfo sobre o Alianza Lima, no Peru, pela Libertadores, além das vitórias contra Atlético-PR, pelo Brasileiro, e América-MG, pela Copa do Brasil.

Recordista

O espanhol Rafael Nadal venceu o argentino Diego Schwartzman por 2 a 0, ontem, classificou-se para as quartas de final do Masters 1000 de Madri e quebrou o recorde de sequência sem perder sets em uma mesma superfície na Era Aberta. O número 1 do mundo chegou a 21 vitórias consecutivas no saibro e a 50 sets vencidos, superando a marca de 49 registrada pelo americano John McEnroe no carpete em 1984. Coincidentemente, Nadal enfrentará hoje seu último algoz na terra batida, o austríaco Dominic Thiem (7º da ATP), que o venceu nas quartas de final do Masters 1000 de Roma no ano passado.

Novo Robben

Os rivais alemães Bayern de Munique e Borussia Dortmund travam mais uma disputa, dessa vez fora dos gramados. Os dois clubes avaliam a contratação da joia portuguesa Gelson Martins, jogador do Sporting e considerado o “novo Robben”. Os times alemães veem o meia-atacante de 22 anos como prioridade para reforçar seus elencos na próxima temporada, quando Arjen Robben ameaça deixar o Bayer – ainda não renovou -, e o Borussia busca substitutos para Aubameyang e Dembelé.

“Inesquecível”

Às vésperas do Grenal 416, a notícia do falecimento do ex-presidente do Grêmio Fábio Koff pegou a todos de surpresa no Tricolor gaúcho. Perto de completar 87 anos, Koff morreu na madrugada de ontem, em Porto Alegre, por conta de uma infecção generalizada após cirurgia no fígado. Visivelmente emocionado num rápido pronunciamento de pesar, o técnico Renato Gaúcho, que escondeu as lágrimas com os tradicionais óculos escuros, disse que o dirigente é “inesquecível”. Koff era o presidente do Grêmio na conquista do Mundial de 1983 e nos títulos da Libertadores de 1983 e 1995, além do Brasileiro de 1996 e a Copa do Brasil de 1994.