Cascavel – O boletim da Sesa (Secretaria de Estado da Saúde) divulgado ontem (25) com os dados mais recentes de dengue, chikungunya e zika vírus – doenças transmitidas pelo Aedes aegipty -, revela que cinco municípios da região oeste estão em destaque no mapa epidemiológico do Estado. “A Sesa chama a atenção para o Serviço de Alerta Climático de Dengue do Laboratório de Climatologia da UFPR para que os municípios identifiquem sua situação de risco para a condição favorável à proliferação do mosquito da dengue e intensifiquem as medidas de controle necessárias, principalmente os municípios do oeste, noroeste e norte. O Laboratório de Climatologia (UFPR/Laboclima) fornece informações sobre as condições climáticas favoráveis ao desenvolvimento do mosquito Aedes aegypti e apresenta semanalmente os graus de risco para o desenvolvimento do vetor, contribuindo para o planejamento das atividades desse controle pelos municípios”.

Os municípios em destaque na região são Cascavel, São Miguel do Iguaçu, Santa Helena, Palotina e Guaíra.

A contar de 1º de agosto, quando se iniciou o atual ciclo epidemiológico, o Paraná já confirmou 19 casos de dengue, 15 autóctones e quatro importados. O número representa praticamente o dobro do boletim passado, quando eram dez confirmações no período.

Na região há confirmação de sete casos, dois a mais que o observado no boletim passado. São seis registros autóctones na 9ª Regional de Saúde de Foz do Iguaçu, sendo três em Matelândia, dois em Foz e um em São Miguel do Iguaçu. O caso importado foi confirmado na 20ª Regional de Saúde de Toledo e está na cidade de Guaíra. Na 10ª Regional de Saúde de Cascavel não há casos de dengue registrados.

Por outro lado, as três regionais do oeste somam 187 suspeitas à doença que aguardam os resultados de exames laboratoriais.

As confirmações de chikungunya e de zika vírus ainda não ocorreram no atual ciclo, mas estão sob análise 24 casos de chikungunya, 13 delas na região oeste, mais especificamente em Foz do Iguaçu (sete casos), Cascavel (dois casos), Formosa do Oeste (dois casos) e Guaíra e Palotina, ambas com um caso cada.

Quanto ao zika vírus, há seis casos suspeitos no Paraná, e dois deles são de Cascavel.

No atual ciclo não foram registradas mortes em decorrência de alguma dessas doenças. O alerta máximo do sistema de saúde se acentua nesta semana com a ocorrência de chuva e calor extremo, condição favorável à proliferação do vetor.