A primeira edição do que viria a ser o Show Rural, em 1989, contou com a presença de 15 expositores e foi prestigiada por 110 agricultores e pecuaristas em um dia de campo.

E lá se vão três décadas anos de história sempre com o mesmo foco: a consolidação como um dos maiores eventos de novidades do agronegócio do mundo, que reúne o que há de melhor em tecnologias, inovações e tendências para o campo. A modernização para pequenos, médios e grandes produtores.

Assim como todas as outras edições, a 31ª, que ocorre de 4 a 8 de fevereiro, abre espaço para a apresentação de novas cultivares, agroquímicos, máquinas e implementos, além de inovações tecnológicas que tornam a atividade rural ainda mais sustentável e rentável.

Segundo o diretor-presidente da Coopavel, Dilvo Grolli, a ideia do evento surgiu durante uma viagem aos Estados Unidos, para a Farm Progress (uma das maiores feiras do agronegócio do mundo). Fizeram a visita à feira o presidente e o gerente técnico da Coopavel, Rogério Rizzardi – que hoje é coordenador do Show Rural.

Eles desenharam em um guardanapo no retorno ao Brasil o esboço do projeto central do que viria a ser o Show Rural, que registra uma particularidade especial: é o único evento do agronegócio no Brasil aberto com uma missa campal no domingo que antecede o início das atividades no parque.

O evento abre para visitação gratuita diariamente das 8h às 18h. O estacionamento também é gratuito.

A expectativa é receber 250 mil visitantes que vão percorrer os 520 estandes distribuídos nos 720 mil metros quadrados do parque, que fica às margens da BR-277, no KM 577, sentido a Curitiba. São agricultores e pecuaristas, técnicos, pesquisadores, parceiros, acadêmicos, empresários, autoridades e pessoas que, de uma forma ou outra, estão ligadas à cadeia do agronegócio. São esperadas ainda dezenas de caravanas vindas do Brasil e do mundo.

Mais uma vez os destaques são para os lançamentos em colheitadeiras, tratores, plantadeiras, utilitários, entre outros, parcelas que mostram o potencial de desempenho de novas cultivares de soja, milho, e outras técnicas de cultivo, como estufas e integração lavoura-pecuária.

A tecnologia de ponta e o mundo digital

Neste ano os visitantes também vão encontrar tecnologias desenvolvidas para tornar a agropecuária ainda mais sofisticada. A tecnologia para o campo ganha um importante e amplo pavilhão digital. São softwares e hardwares empregados para, gradualmente, conduzir os produtores rurais à era da Agricultura 4.0.

Por isso a maior novidade desta edição é o Show Rural Digital. Será uma grande mostra de inovação e tecnologias que ocorrerá em um espaço de 2,8 mil metros quadrados. Além de empresas do setor, lá estão startups com muitas novidades para o agronegócio. Serão realizados hackathons, espécie de maratona que busca soluções para problemas do setor produtivo, nesse caso específicos da área rural, e palestras.

Vendas de R$ 2 bilhões

Somados todos os setores, Dilvo Grolli revela que a estimativa de comercialização varia de R$ 1,5 bilhão a R$ 2 bilhões. Mas, devido ao momento de otimismo e de gradual retomada do crescimento econômico do País, o resultado poderá ser ainda maior.

No comércio local a expectativa é de que o evento injete nesses cinco dias R$ 60 milhões. A média de gastos por visitante/dia é de R$ 250, quando uma cadeia importante da economia é diretamente alcançada pela vinda de pessoas do Brasil e do mundo a Cascavel e região. E esta passou a ser, há anos, a alta temporada para o setor de serviços local.

De um ano para o outro

O evento não para. Segundo os organizadores, mal termina uma edição e imediatamente começa a outra. Por cerca de oito meses, são mantidos uma média de 60 pessoas na área do parque, executando inúmeras tarefas com número aumentando gradativamente.

De novembro a fevereiro, o crescimento de trabalhadores é exponencial. E o auge ocorre durante os cinco dias da mostra, quando mais de 4 mil pessoas atendem aos visitantes.

No estacionamento a capacidade neste ano é para 14 mil veículos. Ninguém vai pagar para estacionar.

No restaurante serão servidas até 4 mil refeições simultaneamente, mas também há opções de lanchonetes espalhadas pelo parque.

A área de 720 mil metros quadrados é cortada por mais de 15 quilômetros de ruas. Todas pavimentadas ou calçadas. Os trechos cobertos, para proteger do sol e da chuva, já somam sete quilômetros.

Além disso, há 14 conjuntos de banheiros totalmente equipados e adaptados. São constantemente higienizados e estão distribuídos pelo parque. Bebedouros com água estão espalhados por todos os cantos.

Um jardim com 350 mil flores

E não se pode falar de Show Rural sem falar dos jardins. A equipe na área encarregada de cuidar dos jardins que dão colorido especial ao evento trabalhou pesado nas últimas semanas. O projeto é anualmente elaborado pela agrônoma Vânia Baratto, do Instituto Emater. São cultivadas 350 mil mudas de 15 espécies diferentes de flores.

Se depois de ver tudo isso ou boa parte disso você se cansar, há áreas de descanso. São ambientes formados por pergolados e cobertura verde, com bancos em seu interior.

Vidas na história

Em três décadas, o evento já recebeu 3,6 milhões de visitantes, o que corresponde a 11 vezes a população da cidade de Cascavel, que tem 325 mil habitantes.