COTIDIANO

Nova invasão do MST estaria prestes a ocorrer em Quedas do Iguaçu

23 de junho de 2015 às 14:14
Publicidade

Quedas do Iguaçu – Depois da decisão da Justiça, que considerou nulos os títulos de propriedade da Araupel, sindicatos e MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) recrutam em várias regiões, inclusive no Paraguai, famílias para nova invasão às áreas da empresa que gera 1,5 mil empregos em Quedas do Iguaçu.

O movimento criou novo acampamento próximo a Campo Novo, em área de reserva legal, no Assentamento Celso Furtado. A intenção do MST é de mobilizar mais de mil famílias para a nova invasão, que será à quinta à propriedade – a primeira foi na metade da década de 1990.

O clima no município é de insegurança e tensão. A polícia investiga a participação de membros do MST na morte do empresário Miguel Pratchum, de 24 anos. Os autores do latrocínio usaram o carro da vítima em assalto a uma loteria em São Jorge do Oeste.

O MST teria, no fim de semana, plantado notícia de que a invasão estaria prestes a ocorrer.

“O clima é de um temor imenso”, diz um líder local que prefere não se identificar.

Os moradores também não entendem por quê, de uma hora para outra, o reforço de policiamento simplesmente desapareceu de Quedas.

Participe do nosso grupo no WhatsApp

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE