Marinha e Corpo de Bombeiros buscam por paraguaios desaparecidos no Rio Paraná

A embarcação com pelo menos 8 pessoas afundou no Rio Paraná na noite dessa segunda-feira (4)

Marinha e o Corpo de Bombeiros do Brasil aderiram às buscas dos paraguaios desaparecidos no Rio Paraná no início da noite de segunda-feira (4). As buscas já estavam sendo realizadas pela Armada Paraguaia desde a noite de ontem, e seguem nesta terça-feira (5). Pelo menos quatro paraguaios estão desaparecidos no Rio após uma canoa com cerca de 8 pessoas virar.

Quando usar máscara de pano
Segundo as informações do Paraguai, o grupo trabalhava no Brasil como estivador e regressava ao Paraguai por volta das 19h30 quando o acidente aconteceu. De acordo com relatos de sobreviventes, a canoa, que era pequena, teria sido atropelada por uma embarcação maior. Ainda segundo os relatos, o barco causador do acidente seria de uma equipe policial. Essa informação não foi confirmada.
O primeiro sobrevivente resgatado pela Armada paraguaia foi um adolescente de 16 anos. Em seguida, pelo menos outros sete conseguiram ser localizados com vida. Quatro permanecem desaparecidos. O acidente aconteceu próximo a um porto de Presidente Franco, no lado Paraguaio.

A Marinha e o Corpo de Bombeiros realizam buscas no lado brasileiro.

Polícia Federal

As primeiras informações que circularam na noite de segunda, logo após o acidente, era de que a canoa teria sido abordada pela Polícia Federal. Porém, a PF negou que estivesse com embarcações no Rio naquele horário. “Constatamos que naquele momento estavam todas atracadas e os procedimentos estavam sendo feito por terra” afirmou Augusto Rodrigues, chefe do Núcleo de Polícia Marítima, da Polícia Federal (NEPOM).

Segundo Rodrigues, a forma de transporte que era utilizada pelas vítimas está sendo comum nos últimos dias. “São embarcações bem precárias, e não usam colete salva-vidas” contou ele. Desde os decretos, tanto do Paraguai, quanto do Brasil, que proíbem a entrada de estrangeiros nos países devido ao novo coronavírus, muitos estão se arriscando nestas embarcações para atravessar à outra margem. Quando são flagrados, esses cidadãos são detidos e deportados imediatamente ao país de origem.

A Polícia Federal informou que cinco passageiros já foram encontrados e quatro ainda permanecem desaparecidos. Os desaparecidos são: Jonathan Manuel Baez, José Molas, Javier Molas, David legal.

 

Reportagem: Portal Costa Oeste 


Leia também:

Mosquito da dengue nas áreas externas


Fale com a Redação

dez − sete =