COTIDIANO

Maioria de usuários quer novo contrato, tarifa menor e obras

06 de agosto de 2015 às 13:56
Publicidade

Curitiba – Um estudo da Faep (Federação da Agricultura do Paraná) constatou que a maioria dos usuários das rodovias prefere que o governo faça um novo contrato imediatamente com tarifas mais baixas e duplicação do Anel de Integração.

Essa preferência foi manifestada por 79,3% dos usuários ouvidos no estudo. Apenas 18,7% acreditam que é melhor o governo esperar vencer o contrato com as concessionárias em 2022.

A pesquisa foi realizada entre os dias 27 de julho e 2 de agosto e utilizou amostra de 2,5 mil motoristas (de carro, moto, caminhão e ônibus), que utilizaram rodovias do Anel de Integração nos últimos dez dias, divididos segundo sexo, faixa etária e posição geográfica, em 62 municípios. A margem de erro estimada é de 2%.

O objetivo da Faep, ao encomendar o estudo, foi identificar a percepção dos usuários das rodovias em relação ao pedágio. A federação defende a necessidade imediata de duplicar as rodovias que compõem o anel – interliga Curitiba, Ponta Grossa, Guarapuava, Cascavel, Foz do Iguaçu, Campo Mourão, Londrina, Maringá, Paranavaí e Paranaguá – e baixar o preço da tarifa.

Urgente

Segundo o presidente da Faep, Ágide Meneguette, a duplicação é urgente para que os custos logísticos não minem ainda mais a competitividade da agropecuária paranaense. O caminho para isso são as parcerias com o setor privado.

“O governo não tem recursos nem para a manutenção das estradas, o que dirá para a execução de grandes obras”.

De acordo com a pesquisa, 47,7% dos motoristas estão satisfeitos ou muito satisfeitos com as rodovias pedagiadas, enquanto 40,9% estão insatisfeitos ou muito insatisfeitos. Segundo 53% dos entrevistados, a melhor forma de manter as rodovias em bom estado é conceder o serviço às empresas de pedágio. Para 44,7%, o melhor é o governo cuidar das rodovias.

Em relação à tarifa, 81,6% dos motoristas consideram que o valor cobrado pelas empresas de pedágio é incompatível ou totalmente incompatível com o serviço que oferecem.

Participe do nosso grupo no WhatsApp

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE