Macri congela gasolina e pagará abono para reverter desvantagem

Entre os anúncios estão o congelamento do preço da gasolina por 90 dias

Buenos Aires – O presidente da Argentina, Mauricio Macri, anunciou nessa quarta-feira (14) medidas econômicas para reverter sua baixa popularidade, depois da derrota para o kirchnerista Alberto Fernández nas prévias de domingo.

O alvo das medidas é a classe média baixa, que nas prévias migrou os votos para a chapa de Fernández e da ex-presidente Cristina Kirchner, candidata a vice.

Entre os anúncios estão o congelamento do preço da gasolina por 90 dias, um abono salarial para empregados públicos e privados e uma espécie de restituição no imposto de renda no valor de 2 mil pesos (cerca de R$ 140). “Sobre o resultado de domingo, eu os compreendi. São responsabilidade exclusivamente minha e da minha equipe de governo.”

Segundo Macri, que fez um pronunciamento gravado de oito minutos na residência oficial de Olivos, ao norte de Buenos Aires, transmitido pela conta da Casa Rosada no YouTube, a meta do pacote é beneficiar 17 milhões de pessoas.

O presidente também anunciou um aumento no salário mínimo e medidas para pequenas e médias empresas, além de um aumento em bolsas de estudo para jovens universitários de 40%.



Fale com a Redação

catorze + um =