O piloto goiano Rapha Teixeira teria motivos de sobra para não gostar dos resultados obtidos em Curitiba, mas prefere focar na parte positiva de ter somado pontos nas duas corridas e ter mostrado muita competitividade na quinta etapa da temporada. Com um P7 e um P6 ele chegou ao Top 10 da classificação com 107 pontos.

“Eu acho que foi muito positivo. Fico triste pelos toques infantis que sofri nas duas corridas que estragaram a estratégia do fim de semana e a chance de ir para o pódio. Foi muito bacana a evolução e a possibilidade de liderar a prova e disputar a vitória como foi no domingo. Um excelente trabalho da equipe, dos coachs, da telemetria. Já estou muito ansioso para a próxima”, comentou o piloto que tem em seu carro as marcas da MED BOM Distribuidora de Medicamentos, Bagua Records e EducaCoin, com o apoio da Sim Telecom, Corneta Ferramentas, Brabus Business, 7 Bond, Triel e Uniforte Descartáveis.

Além da evolução na pista, Rapha Teixeira também comemora a virada de chave mental. Após a etapa disputada no Velocittà ele chegou a pensar em parar.
“Feliz pelo momento. Eu estava bem desanimado e consegui virar o jogo, ser competitivo. É o que a gente sempre quis. Vamos buscar os resultados na próxima”.

Antes da próxima etapa da Stock Light, dia 24 de outubro no Velocittà, Rapha Teixeira terá outro desafio. Ele defende a liderança da Special Edition da GT Sprint Race, que terá a disputa da segunda etapa no próximo final de semana no Autódromo de Tarumã.