Cascavel – A Ecocataratas liberou ontem (31) os 3,2 quilômetros duplicados na BR-277 em Cascavel, do Trevo Cataratas até o posto da PRF (Polícia Rodoviária Federal).

Em outro trecho que estava em execução, no perímetro urbano de Guarapuava, o tráfego foi liberado há alguns dias. “Com a entrega dessas obras, os usuários da BR-277 e a população dos municípios de Cascavel e Guarapuava terão mais segurança ao trafegar pelos perímetros urbanos”, enfatiza o gerente de engenharia da Ecocataratas, Jean Zolett.

Em Cascavel, o trecho concluído contempla 3,2 quilômetros e as intervenções estão entre os KMs 580 e 583. O projeto contemplou a implantação de vias marginais – utilizadas como desvio de tráfego durante os trabalhos nas pistas da BR-277, a implantação de um novo posto da PRF, assim como a construção de um posto de pesagem de veículos (balança) e a construção de duas trincheiras, sendo uma no KM 581 e a outra no KM 583.

As obras nesse trecho custaram cerca de R$ 59,5 milhões sem degrau tarifário. Esses valores correspondem a uma espécie de saldo que o Estado tinha com a Ecocataratas, mas foram suprimidos do trecho outros seis quilômetros de duplicação previstos até o trevo de acesso ao Distrito de São João do Oeste, nas proximidades na Ferroeste. O percurso chegou a ser anunciado pelo ex-governador Beto Richa várias vezes, mas foi suprimido na assinatura da ordem de serviço.

Após sofrer pressão do setor produtivo e de autoridades regionais, há pouco mais de um ano Beto Richa havia garantido que o próprio Estado desembolsaria os recursos para a duplicação desses seis quilômetros atendendo à demanda do Show Rural, mas nada foi feito.

Em Guarapuava, foram executados 2,1 quilômetros, contemplando a implantação de vias marginais, a construção de uma trincheira no KM 349 e uma ponte no KM 345 que custaram R$ 25,5 milhões.