Clecy Biazus Beux

Nasceu: 18/11/1936

Faleceu: 15/09/2018

Clecy Biazus Beux nasceu no dia 18 de novembro de 1936 em Tapejara, no Rio Grande do Sul. Foi casada com Omar Estevão Beux e chegou ao Paraná na década de 1960.

Inicialmente morou em Corbélia, mas um ano depois já firmou residência em Cascavel. Dona Clecy, assim conhecida por muitos, dedicou-se ao lar, ao marido e aos três filhos: Lenamaris, Carlos Alberto e Clecimar. Seu marido, Omar, faleceu em 1991.

Em meados de 1969, fez parte do início do “Lanche da Amizade”, um grupo que reunia várias mulheres todas as semanas para jogar cartas, bingo e confraternizar.

Ela foi uma das fundadoras do grupo e se reunia com amigas como Dona Aparecida, Olinda Beux, Alci Clair, Irma Scanagatta, Leda Lago, Claire Dalloglio, Cleusa Dagostini, Jandira Brock, Dona Pupi, Edir Passos, Selia Costi, Celia Fatori, Eloise Simonato, Lucy Concolatto, Tania, Geni Marafon Ivete Frigo, Sirlei Duarte e Maria Valdez, entre várias outras.

O “Lanche da Amizade” existe há quase 50 anos e foi a origem de grandes amizades que resistiram ao tempo, a todas as mudanças e a despedidas que nem sempre são esperadas.

“Minha avó foi uma mulher de personalidade marcante, sempre forte, e amava viver. Cozinheira de mão cheia, com vários pratos famosos, entre os mais chegados: broa de milho (dava briga pelo último pedaço), bolinho de milho frito, polenta, tortéi, cuca de nata”, conta a neta Natany Cristina Beux.

Ela destaca ainda inúmeras qualidades que admirava na avó: “Tinha uma vitalidade de dar inveja e preguiça não era com ela. Estava sempre fazendo seus crochês, cozinhando seus quitutes e, nas quintas-feiras, preocupada em enrolar o cabelo para ir ao encontro semanal com suas amigas. Vaidosa, caprichosa, noveleira e muito faceira, gostava de uma festa que só ela. Era comum ouvi-la falando da sua única neta, com bastante ênfase, especialmente quando queria justificar um agrado fora de época que fazia para mim”, lembra Natany.

A luta

Diabética há mais de 20 anos, Clecy Biazus Beux teve complicações no coração e no pulmão que lhe fizeram ser internada e, por conta da idade, aos 81 anos, sofreu uma grave infecção. Foi para a UTI e estava sedada quando faleceu, no dia 15 de setembro, por conta de uma parada cardiorrespiratória. O sepultamento ocorreu no Cemitério Parque São Luiz.