POLÍTICA

Justiça impede acesso de ex-vereador à Câmara

22 de março de 2018 às 09:51
Publicidade

Foz do Iguaçu – O Legislativo recebeu documento da 3ª Vara da Justiça Federal de Foz do Iguaçu informando que impôs ao ex-vereador Luiz José de Brito medidas cautelares como condição de liberdade provisória. A comunicação ao Poder Legislativo veio com intuito de instrução e fiscalização da medida.

Dentre as medidas estão a proibição de acesso às dependências da Câmara Municipal. Em sessão extraordinária ontem, o presidente da Casa de Leis, Vereador Rogério Quadros (PTB), informou a todos os parlamentares o conteúdo do documento recebido da Justiça Federal.

Na oportunidade, o presidente também declarou extinto o mandato parlamentar de Dr. Brito, em virtude da renúncia e arquivamento do processo administrativo disciplinar, e declarou vago o cargo. “Na sequência, faremos reuniões com jurídico e demais parlamentares a respeito da suplência do ex-vereador”, disse Rogério Quadros.

Dr. Brito deixou a Penitenciária Estadual 1 ontem de manhã. A prisão preventiva havia sido revogada pela Justiça Federal na sexta-feira (16), porém ele havia se recusado a pagar a fiança de R$ 50 mil alegando inocência. Familiares do ex-vereador decidiram fazer uma "vaquinha" e na terça-feira (20) pagaram o determinado pela Justiça.

Dr. Brito estava preso desde 16 de janeiro, quando foi deflagrada a 8ª fase da Operação Pecúlio, batizada de Renitência, que investiga casos de corrupção na administração municipal.

"Até agora não sei do que estou sendo acusado. Não recebi a denúncia ainda. Depois disso, posso falar mais sobre o que aconteceu", comentou logo que deixou a PEF1.

Participe do nosso grupo no WhatsApp

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE